Curtas – uma seleção do mais importante no Brasil e no mundo

O novo imperador do Japão; PGR sem lista tríplice?; Magazine Luíza compra Netshoes e mais…

Lista tríplice para quê?
O presidente Jair Bolsonaro pode não escolher, para substituir a procuradora-geral da República Raquel Dodge, um procurador que esteja entre os mais votados por seus colegas, na chamada lista tríplice. “Só uma coisa é certa: quem estiver na lista não será”, teria dito no fim de semana em almoço na casa do ministro Walton Alencar, do Tribunal de Contas a União, segundo informou nesta terça-feira 30 a coluna Painel, da Folha de S.Paulo. “Vale o que eu dizia lá atrás… O que quero de um procurador-geral é que respeite o artigo 53 da Constituição”. O artigo 53 estabelece que deputados e senadores são “invioláveis, civil e penalmente” por suas opiniões e votos. Em 2018, Bolsonaro foi denunciado por Dodge por crime de racismo, quando ainda era deputado federal. O presidente tem liberdade para escolher um procurador-geral de fora da lista tríplice, embora isso não aconteça desde 2003 (a lista foi criada em 2001).

_

Magazine Luíza anuncia compra da Netshoes
A varejista Magazine Luiza fechou acordo para aquisição de 100% das ações da Netshoes por 62 milhões de dólares. O preço por ação é de 2 dólares, conforme comunicado divulgado ao mercado. A operação ainda precisa ser aprovada pelos acionistas da Netshoes em assembleia geral, mas o Magazine Luiza fechou um acordo com 47,9% dos acionistas da Netshoes pelo qual os signatários se comprometeram a votar de forma favorável à operação em assembleia.  Outra empresa que estava na disputa era a companhia de comércio eletrônico B2W, dona da Americanas.com e do Submarino. Apresentando prejuízos seguidos desde que fez seu IPO nos Estados Unidos em abril de 2017, a Netshoes havia anunciado na segunda-feira 29 a venda de suas operações na Argentina.

_

Metroviários adiam greve
Os metroviários de São Paulo (SP) decidiram na noite de segunda-feira 29 adiar paralisação geral que estava marcada para esta terça-feira 30, após uma audiência de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho. A categoria tenta entrar em consenso sobre a Campanha Salarial de 2019. Eles defendem aumento salarial e melhores condições de trabalho. Segundo os trabalhadores, na negociação atual, o Metrô está propondo apenas ajustar a remuneração de acordo com a inflação, sem aumento real. Na audiência, o TRT também determinou o cancelamento de punição aos trabalhadores que utilizam coletes e adesivos contra a Reforma da Previdência.

_

Sem novos impostos
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) afirmou nesta segunda-feira, 29, que os deputados federais não vão tratar do aumento de impostos. Em declaração pelas redes sociais, ele disse que o foco é a reforma da Previdência e que a Câmara não aprovaria maior tributação. “Não passa”, escreveu. “Não vamos tratar de aumento de impostos na Câmara, não passa. O foco agora é a Previdência para fazer o país crescer, gerar empregos. Depois vamos debater a reforma tributária para cortar impostos, não para aumentar”, declarou Maia pelo Twitter. A declaração veio após a entrevista com o secretário da Receita Federal Marcos Cintra, em que ele propõe impostos para igrejas, hoje isentas. O presidente Jair Bolsonaro também escreveu em seu Twitter que “nenhum novo imposto será criado”.

_

Bolsonaro: nova interferência no BB
O presidente Jair Bolsonaro fez nesta segunda-feira, 29, um apelo público ao presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, para que a instituição financeira estatal reduza os juros dos empréstimos cobrados do setor agropecuário, durante discurso na cerimônia de abertura da Agrishow, feira do setor agropecuário realizada em Ribeirão Preto (SP). “Eu apenas apelo, Rubens —me permite fazer uma brincadeira aqui, né?—, eu apenas apelo para o seu coração, para o seu patriotismo, para que esses juros —tendo em vista você parecer um cristão de verdade — caiam um pouquinho mais. Tenho certeza que as nossas orações tocarão o seu coração”, disse o presidente. A afirmação fez com que as ações ordinárias —que dão direito a voto— do Banco do Brasil chegassem a cair 1,72% no Ibovespa, por volta das 12h30.

_

Previsão do PIB recua
Analistas financeiros consultados pelo Banco Central (BC) preveem um crescimento de 1,70% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, índice que mede o crescimento da economia, em 2019. Com a nova revisão no PIB, foi a nona semana seguida com revisões para baixo na expectativa de crescimento do índice. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira, 29, segundo projeções compiladas pelo Boletim Focus. Na última semana, a previsão era de 1,71%. Neste ano, os economistas ouvidos pelo BC já chegaram a prever o PIB em 2,57%, na segunda semana do governo Jair Bolsonaro. No fim do ano passado, a expectativa para o crescimento da economia em 2019 era de 2,55%.

_

Ser Educacional nega venda em andamento
A Ser Educacional disse nesta segunda-feira, 29, que não há qualquer discussão em andamento para alienação de participação do acionista controlador, Janguiê Diniz, conforme fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A empresa consultou seu fundador sobre potencial alienação do controle da companhia após notícias a respeito do tema. “Nesse sentido, a companhia informa que consultou seu acionista controlador, Sr. José Janguiê Bezerra Diniz, a respeito de tais notícias e foi informada que não há qualquer discussão para alienação de participação em andamento.” Reportagem do jornal Valor Econômico nesta segunda-feira, citando fontes com conhecimento do assunto, afirma que Diniz está aberto a negociar a venda do controle e que teria sido procurado pela CVC Capital Partners nas últimas semanas. Citando um executivo próximo à companhia, a reportagem afirma que o empresário passou a cogitar a venda, mas quer o dobro do que vale em bolsa, que é 2,9 bilhões de reais.

_

Imperador japonês renuncia
O imperador japonês Akihito renunciou ao trono nesta terça-feira 30, após 30 anos de mandato. Agora, assume o cargo seu filho mais velho, o príncipe herdeiro Naruhito. É a primeira vez em dois séculos que um imperador japonês deixa sua função ainda vivo, graças a uma lei aprovada sob medida para Akihito, que havia manifestado desejo de deixar o cargo em 2016. O imperador no Japão não governa, sendo apenas símbolo do Estado, de acordo com a Constituição em vigor desde 1947. O texto, considerado pacifista, foi imposto ao Japão pelos Estados Unidos após o fim da Segunda Guerra Mundial.

_

Guaidó pede apoio ao novo governo espanhol
O autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, afirmou esperar do governo recém-eleito da Espanha a “prioridade na construção de saídas” para a crise de seu país. Apesar de não ter parabenizado diretamente o primeiro-ministro, Pedro Sánchez, pela vitória de seu Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), Guaidó aproveitou para se expor como um potencial estadista. “Somos unidos pela fraternidade histórica e pela confiança em que nesta nova fase o Governo espanhol terá como prioridade a construção de saídas para a crise da Venezuela”, escreveu Guaidó na sua conta do Twitter. A Espanha está entre os mais de 50 países que reconhecem a autoridade do líder oposicionista, principal desafiador do ditador Nicolás Maduro. Guaidó comemorou “o triunfo da democracia espanhola”, com o sucesso do processo eleitoral, e defendeu “o bem-estar de todos os espanhóis”.