Curtas – o que houve de mais importante ontem

ÀS SETE — PGR faz novo pedido de investigação contra Temer; Greve na sexta; Temer diz que reforma da Previdência será retomada ...

Nova investigação

Além da denúncia contra Temer, a PGR também enviou ao Supremo Tribunal Federal um pedido de abertura de uma nova investigação contra o presidente e o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures. A PGR suspeita que ambos cometeram crimes de lavagem de dinheiro e corrupão passiva ao atuarem em benefício da empresa Rodrimar, que opera no porto de Santos. O caso deverá ser analisado pelo ministro Edson Fachin.

Centrais convocam greve para sexta

As centrais sindicais marcaram greves e manifestações para sexta-feira. Diferentemente das paralisações realizadas em 15 de março e 28 de abril, o movimento desta semana não será chamado de greve geral. É que algumas categorias importantes já informaram que não vão aderir à greve de 30/06. Esse é o caso dos motoristas de ônibus de São Paulo e dos ferroviários da CPTM. Os metroviários aprovaram indicativo de greve, mas ainda vão realizar uma assembleia na quinta-feira para referendar a decisão. Nas paralisações anteriores, a adesão dos trabalhadores do transporte público amplificou a paralisação. Agora, a tendência é que os resultados sejam menores.

Previdência será retomada (algum dia)

Em uma tentativa de criar agenda positiva e com um tom otimista, o presidente Michel Temer afirmou nesta segunda-feira que não há plano B para o país e que é preciso seguir adiante. “Não há plano B. Há de seguir adiante. Nada nos destruirá. Nem a mim, nem aos nossos ministros”, afirmou Temer a uma plateia de empresários. Segundo ele, a reforma da Previdência será retomada. “Temos de avançar na reforma da Previdência, houve uma pequena parada agora, mas ela será retomada”, disse, durante cerimônia de sanção da lei que regulamenta descontos conforme o meio de pagamento. Não há, no entanto, uma data para isso. Na mesma cerimônia, o discurso de Temer virou piada depois de o presidente se referir a sua última viagem para a Rússia e Noruega. Segundo Temer, “nós pudemos verificar o interesse extraordinário de empresários soviéticos e noruegueses no nosso país”. A União Soviética foi dissolvida em 1991.

Avião com cocaína na fazenda de ministro

O avião bimotor apreendido ontem no interior de Goiás com 653,1 quilos de cocaína teria decolado de uma fazenda que pertence à empresa Amaggi, do ministro da Agricultura, Blairo Maggi. A informação do local de decolagem foi fornecida pelo piloto da aeronave à Força Aérea Brasileira (FAB) durante a abordagem e, de acordo com a FAB, “a confirmação do local exato fará parte da investigação conduzida pela autoridade policial”. A Amaggi diz não ter ligação com o bimotor e que aguarda o resultado das investigações sobre a propriedade da aeronave e as circunstâncias do voo. Inscrita no Registro Aeronáutico Brasileiro  sob a matrícula PT-IIJ, a aeronave modelo Piper Aircraft 23 teria partido da Fazenda Itamarati do Norte, no município de Campo Novo do Parecis (MT), com destino a Santo Antônio do Leverger (MT) e foi interceptada por um caça A-29 Super Tucano da FAB na região de Aragarças (GO).

Gilmar x Barroso

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), atacou duramente, em entrevista ao SBT, o Ministério Público Federal. Mendes disse que o órgão tem “pensamento totalitário” e busca a “criminalização da política” e levantou a hipótese de a denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB) ser anulada pelo fato de os procuradores terem obtido provas de forma ilegal. Após a veiculação da denúncia, o ministro Luís Roberto Barroso saiu em defesa do MP. O ministro afirmou que a atuação dos promotores e procuradores não reflete um Estado autoritário, mas, pelo contrário, “é o Estado Democrático de Direito contra uma república de bananas que sempre varreu a sujeira para debaixo do tapete”.

Prisão de Aécio julgada só em agosto

O gabinete do ministro Marco Aurélio Mello, relator do pedido de prisão de Aécio Neves (PSDB-MG), informou que o pedido de prisão contra o senador deve ser julgado apenas após o recesso do judiciário, em agosto. O recurso de Aécio, que pede para que ele tenha seu afastamento de mandato revogado, também deve ficar para o mesmo mês.