PF realiza operações mirando Petrobras, SBM e Postalis

A Operação Positus mira em esquema de corrupção no fundo de pensão

A Polícia Federal deflagrou duas operações nesta quinta-feira, 17, que atingem o Postalis, pelo fundo de pensão dos funcionários dos Correios, e a empresa SBM.

A Operação Positus mira em esquema de corrupção no fundo de pensão. A Operação Ouro Negro envolve uma empresa que teria intermediado os contratos entre a SBM e a Petrobras.

A Positus apura irregularidades no fundo de pensão, controlado pelo PT e PMDB, que teriam ocorrido entre 2006 e 2011. Estão entre os investigados o ex-presidente Alexej Predtechensky e o ex-diretor financeiro Adilson Florencio da Costa.

A PF apura operações envolvendo a criação de dois fundos de investimentos que foram ingeridos pela empresa Atlântica Administradora de recursos.

O inquérito descobriu que os valores dos dois fundos foram transferidos para os Estados Unidos e passaram a ser movimentados por ordem da Atlântica, de propriedade dos empresários Fabrizio Dulcetti Neves e André Barbieri.

Texto atualizado às 8h17.