PF conclui inquéritos de presos na 11ª fase da Lava Jato

Segundo PF, além de três ex-deputados, mais 27 pessoas foram indiciadas na 11ª fase da Lava Jato

Brasília – A Polícia Federal encaminhou ao Ministério Público Federal no Paraná os inquéritos instaurados em abril para investigar a participação dos ex-deputados André Vargas (sem partido–PR), Luiz Argolo (SDD-BA) e Pedro Corrêa (PP-PE) nos crimes de corrupção, fraude a licitações, lavagem de dinheiro, organização criminosa e tráfico de influência.

Os três ex-parlamentares foram presos na 11ª fase da Operação Lava Jato.

De acordo com a PF, além dos três ex-deputados, mais 27 pessoas, algumas mais de uma vez, foram indiciadas na 11ª fase da Lava Jato, que investiga, além das fraudes em contratos da Petrobras, que deram origem à operação em março de 2014, contratos de publicidade do Ministério da Saúde e da Caixa Econômica Federal.

Os documentos remetidos pela PF ao MPF também apuraram os indícios de participação nos crimes por parte de Leon Vargas, irmão do André Vargas; Eliá Santos da Hora, secretária de Argolo; o publicitário Ricardo Hoffmann e Ivan Medonça da Silva Torres, apontado como laranja do ex-deputado Pedro Corrêa, todos presos na 11ª fase da operação.