Peru e Colômbia lideram lista de voluntários estrangeiros

Os latino-americanos, em geral, são os mais entusiasmados em poder ajudar os brasileiros na organização dos eventos

Rio de Janeiro – Peruanos, colombianos e logo em seguida, mexicanos, lideram a lista de estrangeiros inscritos para trabalhar como voluntários na Copa das Confederações, em 2013, e na Copa do Mundo de 2014, informou nesta quinta-feira o Comitê Organizador Local (COL).

Os latino-americanos, em geral, são os mais entusiasmados em poder ajudar os brasileiros na organização dos eventos, entre os cidadãos de 101 países, de cinco continentes, que enviaram seus dados nos dois primeiros dias de inscrições.

”Talvez seja a vontade de poder fazer parte de uma Copa perto de casa após 28 anos (a última foi no México em 1986)”, afirma um comunicado do COL.

As inscrições, que podem ser feitas pela internet, foram abertas na terça-feira pela Fifa em cerimônia na cidade de Salvador, que será uma das sedes nas duas competições.

Apenas no primeiro dia, cerca de 37 mil pessoas, de 69 países, haviam se inscrito. Esse número já havia subido na tarde desta quinta-feira para 65 mil pessoas, de 101 países.

Os interessados também podem se inscrever como voluntários para a organização dos sorteios nos quais serão definidos os grupos e as sedes das duas competições.

Segundo os números do COL, depois do Brasil, os países com maior número de inscritos são: Peru (146), Colômbia (118) e México (106).


Nos países em cada continente, a líder na Ásia é a China, na Europa, a Polônia, na Oceania, a Austrália e na África, a Nigéria.

”Minha primeira Copa foi a de 1990, mas me lembro muito bem da festa que os mexicanos fizeram quatro anos antes. Tenho certeza de que no Brasil será parecido, com as pessoas vindo de países vizinhos para festejar conosco”, disse Bebeto, um dos membros do Conselho de Administração do COL.

As inscrições estarão abertas inicialmente por 15 dias, quando o COL, dependendo do número, avaliará a possibilidade de encerrá-las ou prorrogá-las.

Quando o prazo se encerrar, os organizadores selecionarão os voluntários, priorizando os idiomas e a disponibilidade, e irão definir as sete mil pessoas que estarão na Copa das Confederações e as 15 mil que trabalharão na Copa de 2014.