Pela 3ª vez, Comissão pede que Pimentel explique consultorias

Pimentel teria obtido 2 milhões de reais em serviços de consultoria de sua empresa entre 2009 e 2010

São Paulo – A Comissão de Ética Pública da Presidência da República pediu nesta terça-feira pela terceira vez que o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, preste esclarecimentos sobre as consultorias prestadas por sua empresa antes de assumir a pasta.

O prazo ainda será determinado pelo grupo.

De acordo com reportagens publicadas no final do ano passado, Pimentel teria obtido 2 milhões de reais em serviços de consultoria de sua empresa entre 2009 e 2010, período em que já havia deixado a Prefeitura de Belo Horizonte e antes de assumir o ministério no governo da presidente Dilma Rousseff, de quem é amigo pessoal.

“Ele apresentou as explicações, (mas) nos parece que há pontos que merecem ser melhor esclarecidos”, disse a jornalistas o presidente da comissão, Sepúlveda Pertence. “Queremos saber exatamente, documentadamente, o encerramento das relações contratuais de consultoria”.

Uma das empresas que contrataram a consultoria teria obtido um contrato com a Prefeitura de Belo Horizonte após Pimentel deixar o cargo. As revelações levantaram suspeita sobre possível tráfico de influência, o que Pimentel nega.


A comissão poderá solicitar também esclarecimentos a outras instituições, como a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), disse Pertence.

Dois dos seis integrantes da comissão votaram pela aplicação de uma advertência a Pimentel.

Em outra decisão envolvendo o ministro, a comissão abriu um procedimento preliminar para investigar uma suposta carona em um avião fretado por um empresário brasileiro durante uma viagem oficial à Europa.

Durante viagem presidencial à Bulgária, Pimentel teria usado um avião fretado pelo empresário João Dória Jr., presidente do Grupo de Líderes Empresariais (Lide), para se deslocar a Roma, na Itália, onde concedeu uma palestra em um evento do grupo, de acordo com informações do portal Terra.

A assessoria de imprensa do Ministério do Desenvolvimento informou que Pimentel ainda não foi notificado das decisões da comissão e que, quando for, fará os procedimentos necessários.