Pastor Everaldo é o primeiro a chegar ao debate da CNBB

Debate promovido pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e TV Aparecida começa às 21h30

São Paulo – Os presidenciáveis já começam a chegar ao Centro de Convenções de Aparecida, no Vale do Paraíba (SP), para o debate promovido pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e TV Aparecida, que começa às 21h30.

O primeiro a chegar foi o candidato Pastor Everaldo (PSC), destacando que, por estar num ambiente cristão, teria de falar nesta terça-feira, 16, sobre um mandamento “muito claro” para a população brasileira: “Não roubarás”.

O candidato do PSC disse que há mais de uma razão para não se votar na presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, mas a principal delas é a “corrupção generalizada”. “Já tivemos o mensalão 1 e agora temos o mensalão 2, e eu sou o candidato que pode resolver esse problema porque a única solução é passar a Petrobras para a iniciativa privada, proposta de minha autoria.”

O candidato do PSDB, Aécio Neves, também já chegou para o debate e, na entrada, disse que hoje é uma grande oportunidade de se falar de ética e decência na vida pública.

Aécio disse também que espera sair do debate com as bênçãos de Nossa Senhora Aparecida para arrancar rumo à vitória nas urnas em outubro. “Este é um evento do qual participo com maior alegria”, destacou.

Ao chegar para o debate, o presidente da conferência e cardeal-arcebispo de Aparecida, d. Raymundo Damasceno Assis, disse que este não é um debate da CNBB, mas promovido pela entidade com o intuito de permitir que os candidatos se apresentem aos eleitores com soluções para o País.

Segundo ele, diversos temas serão abordados e as perguntas irão retratar todo o Brasil. “A Igreja não tem uma posição político-patidária”, afirmou.

Antes do debate, o cardeal disse que recebeu os presidenciáveis convidados para entregar a proposta da CNBB sobre a reforma política. Ele disse que Dilma e a candidata Marina Silva (PSB) não puderam comparecer por questões de agenda.

Sobre Marina, disse ainda: “A Marina está com problema na voz e precisa poupá-la”.

Já chegou também para o debate o candidato Levy Fidelix (PRTB), dizendo que é “conservador como toda a família brasileira” e espera ver o “G3” – numa referência aos três candidatos mais bem posicionados nas pesquisas (Dilma, Marina e Aécio) – enfrentando os candidatos menores. “Espero esclarecer os católicos do Brasil quem está a favor do povo e quem está fazendo cena”.

Os candidatos Luciana Genro (Psol), Eduardo Jorge (PV) e José Maria Eymael (PSDC) disseram concordar com pontos de reforma política apresentada pela CNBB.