Parada Gay no Rio leva milhares de pessoas à praia de Copacabana

Edição foi a primeira em 22 anos que não recebeu recursos municipais para pagar parte do desfile

Milhares de pessoas compareceram à 22ª Parada do Orgulho LGBTI neste domingo, lotando a praia de Copacabana apesar da resistência do prefeito Marcelo Crivella ao evento.

Com o evangélico à frente da Prefeitura, essa foi a primeira vez em 22 anos que a marcha LGBTI – lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e pessoas intersex- não recebeu recursos municipais para pagar parte do desfile.

A marcha, contudo, conseguiu tomar as ruas com a contribuição de empresas privadas e cortando gastos: neste ano havia somente seis carros no desfile, abaixo dos 12 do ano passado, quando participaram 600 mil pessoas.

Artistas como Daniela Mercury e Pabllo Vittar fizeram shows durante a tarde, unindo música, dança e protesto.

“Hoje é um dia de resistência”, disse o vereador David Miranda (PSOL-RJ). “Crivella tirou a verba da parada enquanto a cidade recebe muito dinheiro de volta.(…) Mostra que temos um governo intolerante com os LGBTs”, criticou.

Em nota, a Prefeitura do Rio contestou a afirmação dos organizadores de que o desfile não teve qualquer apoio.

O texto informa que o município conseguiu via Lei Rouanet mais de R$ 1,7 milhão e o valor foi investido nas passeatas de Copacabana e Madureira.

A Prefeitura acrescentou que investiu quase 500 mil reais no aparato municipal para bloquear a Avenida Atlântica, onde ocorre o desfile e que disponibilizou serviços como o da Guarda Municipal, CET-Rio, Comlurb e secretarias de Saúde e de Assistência Social e Direitos Humanos.

Veja também
Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. É, qdo lemos notícias assim, conseguimos entender porquê o Brasil está no fundo do poço. Se fosse pra reinvindicar ou protestar contra a corrupção, desmando ou qualquer outra coisa que estamos vendo na política ou na economia, com certeza muito poucos participariam do desfile. É, temos políticos de acordo com nossas intenções. Lamentável

  2. Jadson Williams

    São uma aberração da natureza. Esses Indivíduos tem um característica que se deve ser respeitada e não enaltecida. O homossexual, sem dúvida, pertence a um grupo que, se se generalizasse, representaria a extinção da espécie.

    1. O gay reprimido inrustido sai do armário te assumi se tiver coragem covarde para de recalque e aceita que doi menos os gay sempre existiram cada vez mais.

  3. Gays são mara ai que tudo adoro.