Parada Gay bloqueia ruas e avenidas a partir das 10h

Organização espera 3 milhões de pessoas no evento

São Paulo – A 15.ª Parada do Orgulho LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais) vai bloquear ruas e avenidas dos bairros da Bela Vista, Cerqueira César, Consolação e República a partir das 10 horas deste domingo, na região central de São Paulo. A concentração para o evento começa nesse horário.

A parada está prevista para começar ao meio-dia, na frente do Museu de Arte de São Paulo (Masp), e o desfile vai seguir pela Avenida Paulista e pela Rua da Consolação até a Praça Roosevelt. O trânsito já está sendo monitorado desde as 21 horas de sábado até as 3 horas de segunda-feira, de acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) de São Paulo.

Além dos bairros em que vai haver bloqueio de vias, a Parada Gay vai alterar o trânsito entre as regiões vizinhas, da Vila Mariana, zona sul, à Lapa, zona oeste. Por isso, a CET sugere corredores alternativos aos motoristas, como os formados pela Avenida Bernardino de Campos e a Rua 13 de Maio, na Bela Vista; pelas Avenidas São João e General Olímpio da Silveira, no centro; e pelas Avenidas Rebouças e Doutor Arnaldo, em Pinheiros.

A liberação das vias bloqueadas vai ocorrer gradativamente, após a passagem do último trio elétrico, respeitando o ritmo dos desfiles da parada, cujo término está previsto para as 19h30. A Parada Gay de São Paulo está entre os três maiores eventos turísticos da cidade – junto com a Fórmula 1 e a Virada Cultural – e a expectativa de público para este ano é de 3 milhões, diz a organização.

Eventos simultâneos

Às 16 horas, durante a realização da parada, Corinthians e São Paulo se enfrentam no Estádio do Pacaembu, vizinho à região da Paulista. A Polícia Militar armou um esquema para que os torcedores de futebol não se encontrem com os frequentadores da festa. Segundo o major da Polícia Militar Wagner Rodrigues, o policiamento será reforçado na saída das estações de metrô da Linha Verde. A PM terá 1.500 homens e 120 viaturas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.