Para conter trânsito, Ceagesp deve ganhar novo endereço em SP

ÀS SETE - O governo do estado está entre quatro lugares possíveis e três deles ficam na região metropolitana, fora da cidade

O governo de São Paulo deve decidir nesta sexta-feira a nova localização da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo, a Ceagesp.

Atualmente na zona oeste da capital paulista e com atendimento de 50.000 pessoas por dia, trata-se do maior fornecedor de frutas, legumes, verduras e flores da América Latina. São quatro os novos endereços possíveis, dois deles na região metropolitana, fora da cidade.

Às Sete – um guia rápido para começar seu dia

Leia também estas outras notícias da seção Às Sete e comece o dia bem informado:

A única dentro de São Paulo fica na Avenida Raimundo Pereira de Magalhães, próximo da conexão entre os trechos Norte e Oeste do Rodoanel. A proposta é da Companhia Paulista de Desenvolvimento (CPD).

Também foi apresentado um imóvel em Santana do Parnaíba pela Ideal Partners, em que o acesso é pelo Rodoanel Oeste, também próximo às rodovias Castello Branco e Anhanguera.

Um terceiro terreno, ali próximo e com acesso pelo Rodoanel Oeste, fica na Lagoa de Carapicuíba, em Barueri. O último endereço, do Nesp, fica no quilômetro 26 da Rodovia dos Bandeirantes, em Perus. O Rodoanel Oeste também passa por ali.

Além de buscar uma melhor estrutura para o entreposto, a mudança atende uma antiga demanda de tráfego de veículos. O acesso atual passa obrigatoriamente pela região de junção entre as marginais Pinheiros e Tietê, gargalo de trânsito paulistano.

As conexões com o Rodoanel tem objetivo de manter fora do coração da cidade a enorme frota diária de caminhões que frequentam o Ceagesp. Foi uma exigência do governo de São Paulo.

“Hoje, o velho entreposto não tem capacidade para atender ao volume médio de comercialização de 283 mil toneladas/mês ou 3,4 milhões anuais, receber produtos de 1.500 municípios, 22 estados brasileiros e 19 países, oferecer conforto, segurança e sanitários para 50 mil pessoas e mobilidade adequada para os 12 mil veículos que ali circulam todos os dias”, dizem Claudio Furquim e Onivaldo Comim, presidentes de associações dos permissionários em artigo publicado no jornal O Estado de S. Paulo.

Uma das possibilidades em análise pelo governo é transformar o antigo entreposto num polo de atração de startups e empresas de tecnologia, criando um novo polo de desenvolvimento para a cidade. Há outras opções na mesa.

O Ceagesp está localizado em área nobre, com alto potencial construtivo e terreno valorizado. Com cada vez menos espaço na capital e próximo de eixo de transporte público, será centro de disputa entre construtoras. As definições desta sexta-feira, portanto, importam a muita gente.