Padilha: indicação para o Trabalho pode continuar com PTB

Padilha frisou, no entanto, que o presidente Michel Temer deseja que os novos ministros tenham uma atuação mais intensa no final do governo

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse hoje (21) que a indicação para ministro do Trabalho “possivelmente” continuará com o PTB. Ele frisou, no entanto, que o presidente Michel Temer deseja que os novos ministros tenham uma atuação mais intensa no final do governo.

“[A indicação] possivelmente continua [com o PTB]. Mas o presidente pretende fazer nessa reforma uma reforma em que os ministros pretendam dar grande visibilidade a cada um dos ministérios”.

Para Padilha, os últimos anos dos governos federais são marcados pelo “encolhimento” dos ministérios em virtude da saída de ministros para concorrer a cargos eletivos. “O presidente quer fazer com que o ministério tenha inclusive uma dimensão maior com a nomeação dos novos ministros”.

Ministros do governo do presidente Temer que vão se candidatar nas eleições de outubro precisam deixar o cargo até abril, em cumprimento à legislação eleitoral.

Hoje (21), Temer recebeu o presidente do PTB, Roberto Jefferson, e o líder da legenda na Câmara, Jovair Arantes (GO). Eles foram comunicá-lo oficialmente da desistência da indicação de Cristiane Brasil para a pasta. A deputada também estava no encontro. Durante a conversa, Temer disse que estava do lado do partido no imbróglio judicial criado após a indicação da deputada. Com a saída da petebista de cena, a definição do novo ministro ficará para março.

O ministro-chefe da Casa Civil encerrou o assunto dizendo que, ainda assim, o PTB deve se sentir representado no ministério do Trabalho, uma vez que o secretário-executivo, Helton Yomura, é indicado do partido e ocupa interinamente a pasta, acumulando os cargos.