Os números que tanto preocupam quem precisa do passaporte

Quem requisitar um novo passaporte pode ter que esperar até dois meses para ter o documento em mãos. Veja o infográfico.

São Paulo – Situações extremas pedem medidas extremas: a Casa da Moeda do Brasil (CMB) passou de 9 mil para 12 mil a fabricação diária de passaportes brasileiros. O senso de urgência se faz necessário por conta do enorme atraso na entrega dos documentos por problemas de produção.

A pilha se fez por falta de matéria-prima para fabricação da capa e por uma falha na máquina de perfuração a laser. O prazo de entrega, que em tempos normais era de 6 dias úteis, passou para 45 dias corridos.

Quem está com viagem programada para o exterior precisa se atentar: mais de 140 mil pessoas que já deveriam ter o documento em mãos aguardam a confecção.

Até esta segunda-feira (18), a espera para o agendamento em um dos postos de expedição da Polícia Federal na cidade de São Paulo era de 35 dias corridos.

Ou seja, o cidadão que requisitar um novo passaporte (ou for renovar o atual), deve receber o documento só daqui ao menos dois meses.

Para quem tem urgência, a PF oferece uma opção “fura fila”, com pagamento avulso. Somado ao valor normal de emissão (R$ 275,25), há uma taxa de aceleração de R$ 77,17 para garantir a entrega “express”.

Ainda assim, como outros 9 mil são solicitados diariamente, a CMB diz que não há uma data para normalizar as atividades.