Operação no interior prende integrantes de “tribunal do crime” do PCC

Grupo é uma espécie de tribunal mantido pela facção para julgar e punir quem viola suas regras

Sorocaba – Uma operação da Polícia Civil nesta quinta-feira, 5, cumpriu 24 mandados de prisão contra integrantes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) por crimes como tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo em quatro cidades do interior de São Paulo.

Entre os presos estão membros da facção envolvidos no julgamento e execução de pessoas no chamado “tribunal do crime”. Além de 11 pessoas presas durante a operação, foram cumpridos novos mandados de prisão contra 13 detentos que já cumprem pena no sistema carcerário paulista.

As prisões aconteceram em Jundiaí, Campinas, Mogi Guaçu e Bragança Paulista e três delas foram em flagrante. Também foram cumpridos 36 mandados de busca e apreensão em 17 cidades.

Os policiais arrecadaram 1,5 mil papéis com anotações envolvendo a contabilidade do tráfico sem qualquer referência a nomes – tática usada pelo PCC.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP), a investigação realizada pela Delegacia de Investigações de Jundiaí permitiu decifrar códigos e anotações embaralhadas. Com isso, foi possível identificar os envolvidos e suas atribuições dentro e fora da organização.

A apuração teve início há um ano, quando um integrante do PCC foi preso em Jundiaí. A partir dessa prisão, foi possível esclarecer seis homicídios praticados por integrantes de uma espécie de tribunal mantido pela facção para julgar e punir quem viola suas regras.

Em Campinas, voltou a ser preso um líder da facção que já havia cumprido pena por tráfico. Conforme a SSP, a Operação Glossário – o nome se deve à grande quantidade de anotações apreendidas – mobilizou 226 policiais das cinco delegacias seccionais da região de Campinas (Deinter-2), com apoio de 71 viaturas.