Curtas – uma seleção do mais importante no Brasil e no mundo

Embraer entrega à Azul o maior avião comercial produzido pela fabricante; Onze mortos em incêndio em hospital no Rio; Dodge contra retrocessos

Onze mortos em incêndio em hospital no Rio

Um incêndio de grandes proporções atingiu o hospital Badim, na Tijuca, bairro da Zona Norte do Rio de Janeiro, no fim da tarde e início da noite desta quinta-feira 12. Ao menos onze pessoas morreram, de acordo com informação passada pela Defesa Civil ao canal Globo News. Uma morte foi confirmada durante a noite e outros dez corpos, ainda não identificados, foram retirados do local durante a madrugada desta sexta. Segundo a assessoria de comunicação do hospital, um curto-circuito ocorreu no gerador do prédio 1, espalhando fumaça para todos os andares do prédio.

Dodge contra retrocessos

Em seu último discurso como procuradora-geral da República na sessão plenária do Supremo Tribunal Federal (STF), Raquel Dodge fez um alerta nesta quinta-feira para que os ministros da corte “permaneçam atentos a todos os sinais de pressão sobre a democracia liberal”. “No Brasil e no mundo surgem vozes contrárias ao regime de leis, ao respeito aos direitos fundamentais e ao meio ambiente sadio também para as futuras gerações”, disse a procuradora. “Neste cenário é grave a responsabilidade do Ministério Público, mas é singularmente importante a responsabilidade do Supremo Tribunal Federal do Brasil”. Depois, se dirigiu aos ministros. “Quero lhes fazer um pedido muito especial, que também dirijo à sociedade civil e a todas as instituições da República: protejam a democracia brasileira tão arduamente erguida em caminhos de avanços e retrocessos, mas sempre sob o norte de que a democracia é o melhor modelo para construir uma sociedade de mais elevado desenvolvimento humano.”

Bolsonaro fica afastado por mais 4 dias

Ainda em recuperação de um cirurgia para corrigir uma hérnia e usando uma sonda nasogástrica, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) deverá ficar afastado de suas funções como presidente por mais quatro dias, seguindo orientações médicas. Não há, entretanto, previsão de alta médica. A expectativa era que ele voltasse às suas funções nesta sexa-feira, 13. “A alta é conforme a evolução do presidente, baseada nas análises da equipe médica e no momento adequado far-se-á presente. Não há previsão”, afirmou o porta-voz Otávio Rêgo Barros, em entrevista coletiva. Ele acrescentou que está mantida a viagem a Nova York para a Assembleia Geral da ONU, no dia 24. De acordo com boletim divulgado nesta quinta, Bolsonaro apresenta evolução clínica favorável, “sem dor, afebril e com recuperação progressiva dos movimentos intestinais”. O vice-presidente Hamilton Mourão fica na Presidência até terça-feira 17.

Relator mudará Previdência para texto não voltar à Câmara

O relator da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Tasso Jereissati (PSDB-CE), vai retirar duas alterações feitas em seu parecer para evitar que o texto volte à Câmara dos Deputados e atrase a promulgação da proposta. A decisão foi anunciada nesta quinta-feira 12 pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). Para alguns consultores do Senado, duas mudanças feitas por Jereissati teriam que necessariamente retornar à Câmara por mexerem no mérito da proposta — o que atrasaria a promulgação da medida. Uma das alterações questionadas dá autonomia a estados e municípios para implementarem alíquotas extraordinárias e financiar o déficit do regime dos servidores. Outra alteração questionada por consultores prevê a possibilidade de trabalhadores informais recolherem à Previdência Social com alíquotas favorecidas. Além disso, o mandatário da Casa anunciou também um acordo para concluir a tramitação da PEC Paralela ainda neste ano na Casa. Por outro lado, os parlamentares não têm consenso sobre o conteúdo da proposta — que, entre outras mudanças, inclui estados e municípios na reforma da Previdência.

Defesa de Lula pede suspensão de processo do tríplex no STJ

Os advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediram ao Superior Tribunal de Justiça a suspensão do trâmite de um recurso contra a condenação no tríplex do Guarujá até que o Supremo Tribunal Federal julgue dois habeas corpus que questionam a conduta do ex-juiz federal Sergio Moro e dos procuradores da Lava Jato no processo que culminou na prisão do petista. Ainda não há previsão de quando estes julgamentos irão ocorrer. No pedido de suspensão ao STJ, Lula argumenta que a corte deve aguardar o julgamento no Supremo, já que há a possibilidade de os ministros reconhecerem a suspeição de Moro e dos procuradores da Lava Jato e, consequentemente, declarar a nulidade de todo o processo. A defesa de Lula já havia pedido ao STJ a redistribuição do processo para um novo relator, já que o ministro Felix Fischer, considerado “linha dura”, está afastado por razões médicas desde o final de julho — ele se recupera de uma embolia pulmonar.

Embraer entrega à Azul o maior avião comercial produzido pela fabricante

A Embraer, terceira maior fabricante de aviões do mundo, entregou nesta quinta-feira 12 à companhia aérea Azul a primeira aeronave do modelo E195-E2, o maior avião comercial produzido pela empresa, com capacidade para 146 passageiros. A entrega foi formalizada em uma cerimônia especial na fábrica da Embraer, na cidade de São José dos Campos, em São Paulo, que contou com a participação do fundador da Azul, David Neeleman, do presidente da companhia, John Rodgerson, e do presidente da Embraer Aviação Comercial, John Slattery. A Azul, que há cinco anos encomendou 51 aeronaves modelo Embraer E195 de segunda geração (E2) em um negócio avaliado em 3,2 bilhões de dólares, será a primeira companhia aérea do mundo a operar esse avião, que não é apenas o maior tipo comercial fabricado no país, mas também o mais econômico em uso de combustível. Até agora, o maior avião comercial da Embraer, líder mundial em aviões médios para voos regionais, era o E195 de primeira geração, com 38,65 metros de comprimento, capacidade para 124 passageiros e autonomia de voo de 4.077 quilômetros.

União Europeia diz estar aberta para nova extensão do Brexit

O presidente do Parlamento Europeu, o italiano David Sassoli, afirmou nesta quinta-feira 12 que a União Europeia está aberta para discutir uma nova extensão do Artigo 50 do Tratado de Lisboa, que regula a saída de membros do bloco e, portanto, o Brexit, que está marcado para se consolidar em 31 de outubro. Tal abertura, no entanto, só será uma possibilidade se as justificativas do governo britânico para tanto forem baseadas na convocação de uma nova eleição geral, por exemplo, ou na tentativa de impedir uma saída sem acordo. Se concedida, a extensão seria a segunda solicitada pelo Reino Unido, já que o prazo original era 31 de março. As disposições são parte de uma resolução discutida entre os maiores grupos do Parlamento Europeu. De acordo com o presidente, o documento tem como objetivo reafirmar as posições do bloco sobre o Brexit. “Chegou o momento de expressar nossas posições com firmeza e clareza”, afirmou. Sassoli também enfatizou que o acordo negociado pela União Europeia com a então primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, e rejeitado três vezes pelo Parlamento britânico, é o melhor acordo possível.

Boris Johnson nega ter mentido para Rainha

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, rejeitou nesta quinta-feira 12 as críticas recebidas pela publicação de um relatório sobre as consequências caóticas de um “Brexit duro” e as acusações de que teria ocultado da rainha seus motivos para suspender o Parlamento até o dia 14 de outubro, duas semanas antes da data fixada para saída do Reino Unido da União Europeia. Forçado pelo Legislativo, um dos últimos golpes aplicados ao Executivo antes de entrar em recesso por cinco semanas, o governo de Johnson tornou público na quarta à noite um documento elaborado em segredo para se preparar para os efeitos de um Brexit sem acordo. Intitulado Operação “Yellowhammer”, o documento de 2 de agosto prevê graves congestionamentos nos portos britânicos, os quais poderão levar à escassez de alimentos frescos e de remédios. O informe relaciona perturbações em 12 setores-chave: desde o abastecimento de água aos transportes e às fronteiras, passando pela possibilidade de distúrbios de ordem social. Boa parte do documento já era conhecida, porque foi vazado pelo jornal “Sunday Times” em agosto. Isso não evitou, porém, duríssimas críticas ao governo, que alega ter feito preparativos desde então para amenizar esses efeitos.

Banco Central Europeu corta juros

O Banco Central Europeu (BCE) cortou os juros do bloco nesta quinta-feira 12, o que não ocorria desde 2016, e anunciou a retomada de compras mensais de ativos, num esforço para estimular a economia da região. A diretoria do BCE “espera que [as compras de títulos] durem o tempo necessário para reforçar o impacto acomodatício de sua política monetária e terminem pouco antes de começar a aumentar as principais taxas de juros” da instituição, afirmou o banco, em comunicado. A instituição reduziu a taxa de depósitos de -0,4% para -0,5%, que remunera o dinheiro depositado pelos bancos na instituição — quando está negativa ocorre o contrário. O BCE, ao todo, tem três taxas que definem sua política monetária. A de refinanciamento (considerada a principal taxa de juros do bloco) e a taxa da linha de crédito permaneceram inalteradas em 0% e 0,25%, respectivamente. Pela medida anunciada, o BCE reiniciará as compras de títulos a um ritmo de 20 bilhões de euros por mês a partir de novembro, como forma de impedir uma queda preocupante nas expectativas de inflação. Além das medidas anunciadas, o BCE reduziu projeções de crescimento econômico e de inflação da zona do euro. O banco reduziu a projeção para o PIB de 2019 do bloco de 1,2% para 1,1%. Já a taxa anula de inflação ao consumidor para o período foi reduzida de 1,3% para 1,2%.