ONU e União Europeia arrecadam US$4,4 bilhões para ajudar a Síria

Mais de 30 países e organizações presentes também prometeram US$ 3,4 bilhões para o próximo ano com a mesma finalidade

Uma conferência promovida pelas Nações Unidas e a União Europeia (UE) que reuniu doadores para a Síria, encerrada nesta quarta-feira (25), em Bruxelas, arrecadou cerca de US$ 4,4 bilhões em auxílio para a nação asiática este ano.

Mais de 30 países e organizações presentes também prometeram US$ 3,4 bilhões para o próximo ano com a mesma finalidade. A informação é da ONU News.

O subsecretário-geral para Assuntos Humanitários da ONU agradeceu a contribuição dos 36 doadores. Mark Lowcock disse que estes valores “são um bom começo” e que “farão uma diferença verdadeira na vida dos sírios apanhados por esta crise horrível.”

Durante a conferência, o secretário-geral das Nações Unidas António Guterres pediu, em mensagem de vídeo, que “a notável generosidade demonstrada pelos doadores humanitários no ano passado fosse sustentada e, se possível, aumentada.” Ele frisou que “a escala de necessidades humanitárias na Síria continua a ser desconcertante.”

Apesar das dificuldades no processo de paz, o chefe da ONU afirmou que existem boas notícias. No recente retiro do Conselho de Segurança, que aconteceu na Suécia, Guterres sentiu “um forte compromisso” dos Estados-membros em melhorar a situação.

Armas químicas

Numa outra frente de apoio à Síria, os investigadores da Organização para Proibição de Armas Químicas (Opaq), entraram nesta quarta-feira num segundo local, em Duma, onde aconteceu um suposto ataque químico. Segundo a Opaq, os investigadores recolheram amostras e vão agora analisá-las no seu laboratório em Rijswik, na Holanda.

Mais de 70 pessoas morreram durante o alegado ataque químico, em 7 de abril. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 500 pessoas ficaram feridas.

Também hoje, a secretária-geral assistente para os Assuntos Humanitários da ONU, Ursula Mueller, informou ao Conselho de Segurança sobre a sua preocupação com os materiais médicos que continuam a ser retirados da ajuda humanitária entregue pelas Nações Unidas na Síria.

A ONU e os seus parceiros precisam de US$ 3,51 bilhões para fornecer ajuda humanitária a 13,1 milhões de pessoas na Síria este ano. Já para ajudar os refugiados que estão nos países vizinhos, são precisos US$ 5,6 bilhões. Até dia 15 de abril, apenas 14,6% destas necessidades estavam cobertas.

Segundo a OMS existem 17 milhões de homens, mulheres e crianças vulneráveis no país. A agência disse que “as pessoas são incapazes de obter cuidados de saúde básicos, que podem salvar vidas, sem ser expostos a riscos significantes todos os dias. ”

Segundo a OMS, menos de metade das unidades de saúde na Síria estão completamente operacionais. Além disso, continuam os ataques indiscriminados. Só este ano, unidades de saúde no país já foram atacadas 74 vezes.