ONS diz que alto consumo não provocou falta de energia

De acordo com o ONS, um primeiro curto-circuito ocorreu às 14h03 na linha de transmissão de 500 kilovolts (kV) Miracema-Colinas C3, no Tocantins

A falta de energia que afetou consumidores no Sul, Sudeste e Centro-Oeste na tarde de hoje (4) não foi provocada pelo excesso de demanda, apesar de o calor intenso nas últimas semanas, informou o presidente do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Hermes Chipp.

“A demanda elevada não tem relação com a ocorrência, porque se estava com os carregamentos das linhas de transmissão todos dentro dos limites. Se esse pico de consumo tivesse, por acaso, ocasionado de se operar com sobrecarga, aí podia afetar. Mas não é o caso”, explicou Chipp.

De acordo com o ONS, um primeiro curto-circuito ocorreu às 14h03 na linha de transmissão de 500 kilovolts (kV) Miracema-Colinas C3, de propriedade da empresa Intesa, no Tocantins.

Em seguida, outro curto-circuito atingiu a linha Miracema-Colinas C2, também de 500 kV, da empresa Taesa, controlada pela Cemig. Isso acarretou o desligamento do circuito restante, de propriedade da Eletronorte. Com isso, houve o desligamento da linha de transmissão Serra da Mesa-Rio das Éguas, separando fisicamente os Sistemas Norte e Nordeste do restante do Sistema Interligado Nacional.

Segundo Chipp, a linha de transmissão Miracema-Colinas tem capacidade para até 5,1 mil megawatts e estaria, no momento da interrupção, com carga abaixo disso, “dentro de todos os limites e padrões”.

Chipp também descartou que a falha tenha ocorrido por falta de manutenção no sistema. “Todos os equipamentos estão operando dentro dos padrões para os quais eles foram fabricados”. O diretor-geral do ONS calculou que 6 milhões de pessoas foram afetadas e disse que os cortes de energia foram seletivos, a fim de preservar hospitais e outras unidades e serviços de utilidade pública, incluindo o transporte por trens e metrô.

Ele não soube precisar as causas da interrupção e disse que somente na próxima quinta-feira (6) elas poderão ser divulgadas, após uma reunião técnica sobre o assunto.