Ônibus de SP circularão sem cobrador em quatro anos

Segundo o prefeito João Doria Jr., o processo será gradual e os atuais trabalhadores serão realocados em funções administrativas ou de motorista

O prefeito de São Paulo, João Doria, disse hoje (10) que, no prazo de quatro anos, os ônibus da capital paulista vão circular sem a presença do cobrador.

De acordo com ele, a prefeitura negociou com as empresas concessionárias para que o processo seja gradual e que os atuais trabalhadores sejam realocados em funções administrativas ou de motorista.

“Ninguém será demitido, a minha palavra vale”, afirmou o prefeito. Segundo ele, as empresas serão punidas de descumprirem essa e demitirem funcionários.

De acordo com o prefeito, atualmente, entre os usuários do transporte público, apenas 6% pagam em dinheiro e 94% com o Bilhete Único, sistema que concede descontos por fidelidade ou nas integrações com outros modais.

A ideia é que, em quatro anos, todos os pagamentos sejam feitos com Bilhete Único.

Para Doria, manter os cobradores nos ônibus “não é moderno” e “não é eficiente.”

O Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano discorda da posição do prefeito.

Para a entidade, o cobrador de tarifa tem função de agente social, no auxílio aos motoristas, dentro dos coletivos.

A categoria também teme demissão em massa de 19 mil funcionários no município.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Bruno Rodrigues de Melo

    Aqui no Rio já é assim e vou dizer… atrasa muito a viagem, motorista dando troco e ainda tem que prestar atenção no trânsito, em que vai descer… e no final fica mais cansado no final do dia. Sou à favor da permanência do cobrador pois devido à geração de empregos, não sobrecarrega tanto o motorista.

  2. Até q ele saia e o próximo coloque-os de volta. Sou a favor da retirada nas linhas menores. Nos articulados ainda não tem como.