Odebrecht tem interesse em até dois trechos rodoviários

Companhia deve centrar esforços principalmente na região Centro-Oeste, onde venceu recentemente a disputa pela concessão da BR-163 no Mato Grosso

São Paulo – A Odebrecht TransPort deve apresentar estudos de apenas um ou dois lotes de rodovias a serem incluídos pelo governo federal no programa de concessões rodoviárias, que prevê a cessão de cinco trechos ainda este ano, incluindo a Ponte Rio-Niterói. Embora tenha manifestado interesse em desenvolver estudos para quatro concessões, a companhia deve centrar esforços principalmente na região Centro-Oeste, onde venceu recentemente a disputa pela concessão da BR-163 no Mato Grosso.

“Temos que fazer escolhas. Apresentamos carta de interesse para quatro (lotes), mas provavelmente não vamos apresentar as quatro. Talvez faremos efetivamente estudo de uma ou duas”, destacou o diretor de Rodovias da Odebrecht TransPort, Renato Mello. Seriam candidatos naturais a receber maior prioridade por parte da companhia os trechos da BR-364, entre Mato Grosso e Goiás, e das BRs 163 e 230, entre o Mato Grosso e o Pará, justamente pelos traçados, que dão continuidade ao trecho da BR-163 conquistada ano passado. Além desses dois lotes, a empresa também solicitou autorização para estudar a BR-364, entre Goiás e Minas Gerais.

Além desse eixo, a Odebrecht TransPort demonstrou interesse em elaborar um estudo para a concessão da Ponte Rio-Niterói. “Estamos estudando para ver a viabilidade de cada projeto e definir onde efetivamente vamos investir”, destacou o executivo, que participou nesta quarta-feira, 19, do Fórum Brasil: Diálogos para o Futuro, promovido pela Carta Capital.

Mello destacou que a Odebrecht TransPort está focada em regiões onde o crescimento é superior ao desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. Por isso, a região central e o escoamento da soja são considerados atrativos. Outros projetos, como a própria Ponte Rio-Niterói, e a Tamoios, em São Paulo, também estão no radar da Odebrecht TransPort.