O que o governo deveria priorizar em 2018, segundo os brasileiros

Segundo sondagem da CNI, apenas 3% dos brasileiros consideram a reforma da Previdência como agenda prioritária para o governo

São Paulo – Em mais um sinal de descompasso entre governo e população, apenas 3% dos brasileiros acreditam que a Reforma da Previdência deveria ser uma prioridade para o governo este ano. É o que mostra pesquisa da Confederação Nacional de Indústrias (CNI) divulgada nesta semana.

Em contrapartida, a maior parte deles acredita que, neste ano, o governo Michel Temer deveria priorizar programas para melhorar a saúde pública.

Segundo o levantamento, 37% dos entrevistados apontaram esse item como prioritário para a agenda do mandato que se inicia em 2019. Elevar o salário mínimo, controlar a inflação (que teve a menor taxa para janeiro desde a criação do Real), promover a geração de empregos e reduzir impostos aparecem logo em seguida com cerca de 30% das escolhas dos entrevistados.

A escala de prioridade também muda conforme o perfil do entrevistado. Por exemplo, a redução de impostos é essencial para 37% dos jovens de 16 a 24 anos e 36% daqueles que ganham mais de cinco salários mínimos.

Prioridade
% dos entrevistados
Melhorar os serviços de saúde 37
Aumentar o salário mínimo 33
Controlar a inflação 32
Promover a geração de empregos 30
Reduzir os impostos 30
Melhorar a qualidade da educação 25
Combater a corrupção 23
Reduzir os gastos públicos 23
Combater a violência e a criminalidade 18
Ampliar os programas de combate à pobreza, como o bolsa família, etc. 10
Aumentar o combate às drogas 5
Promover a reforma política 5
Ampliar os programas de habitação/ Moradia popular 4
Melhorar as estradas e rodovias 3
Promover a reforma da previdência 3
Melhorar o transporte urbano 2
Reduzir a burocracia 2
Investir na ampliação da produção de energia 1
Ampliar as linhas de crédito para pequenos negócios 1
Ampliar concessões de obras de infraestrutura para o setor privado 1
Buscar acordos comerciais com outros países 1
Intensificar as políticas de proteção ao meio ambiente 1
Promover programas de saneamento básico 1
Nenhuma destas/ Outras 0
Não sabe/ Não respondeu 2

De todas as regiões, o Sul é o único que não apontou a saúde como prioritária. Para os moradores da região, em contrapartida, é uma tríade de medidas econômicas que devem dar o tom da gestão Temer neste último ano de mandato com controle de inflação, aumento do salário mínimo e geração de empregos.

SUL  NORDESTE NORTE/CENTRO-OESTE SUDESTE
Controlar a inflação (39%) Melhorar os serviços de saúde (37%) Melhorar os serviços de saúde (37%) Melhorar os serviços de saúde (39%)
Aumentar o salário mínimo (33%) Aumentar o salário mínimo (34%) Reduzir os impostos (36%) Aumentar o salário mínimo (32%)
Promover a geração de empregos (33%) Promover a geração de empregos (31%) Aumentar o salário mínimo (33%) Controlar a inflação (30%)

Em relação aos principais problemas experimentados pelo Brasil, desemprego e corrupção praticamente dividem o pódio consolidando um retrato claro das crises política e econômica que acometem o Brasil nos últimos anos.

Em 2016, a corrupção ocupava o terceiro lugar da lista de principais problemas, com 40% das citações. Hoje, está em segundo com 55% das menções. 

Temas que o Brasil enfrenta maiores problemas atualmente % dos entrevistados
Desemprego 56
Corrupção 55
Saúde 47
Segurança pública/ violência 38
Custo de vida/ preços/ controle da inflação 13
Qualidade da educação 13
Drogas 12
Pobreza/ fome/ miséria 10
Falta de moradia 7
Salários baixos 7
Impostos elevados 6
Impunidade/ Lentidão ou falta de justiça 5
Seca/ Falta de água 4
Baixo crescimento da economia/ baixo desenvolvimento do País 4
Falta de valores morais 3
Juros elevados 3
Saneamento básico (coleta de esgoto e abastecimento de água) 2
Deficiência no fornecimento de energia elétrica 1
Meio ambiente (poluição, desmatamento, etc.) 1
Burocracia 1
Trânsito/ carência de transporte/ problemas de mobilidade urbana 1
Dificuldades fiscais do Governo Federal e dos estados 1
Falta de opções de cultura e lazer 0
Baixa qualidade das estradas/ rodovias 0
Lixo 0
Nenhuma destas/ Outras 0
Não sabe/ Não respondeu 1

A pesquisa ouviu 2 mil pessoas em 127 municípios entre 7 e 10 de dezembro de 2017.