O que falta a 30 dias do início da Copa 2014

Apenas 22% das obras de mobilidade estão prontas. O ritmo das arenas está mais acelerado: 75% delas já foram entregues

São Paulo – A 30 dias da Copa do Mundo, ainda falta muita coisa. 

Apenas 22% das obras de mobilidade estão prontas. Nos aeroportos e no entorno dos estádios, menos da metade foi concluída.

O levantamento a que o Brasil Post teve acesso foi elaborado pelo Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva (Sinaenco).

O ritmo das arenas está mais acelerado: 75% delas já foram entregues.

Ainda há três estádios que carecem dos últimos ajustes para receber o público: Arena Corinthians (Itaquerão), em São Paulo, Arena da Baixada, em Curitiba, e Arena Pantanal, em Cuiabá.

(Reprodução/Brasil Post)

Entorno dos estádios

Das dez obras prometidas pelo governo no entorno de estádios, apenas quatro foram concluídas até o momento, de acordo com o Sinaenco.

Uma das maiores preocupações hoje é o conjunto de melhorias necessárias no acesso e ao redor do estádio Beira-Rio, em Porto Alegre.

A prefeitura da capital gaúcha prometeu uma força-tarefa nas obras do entorno para que tudo esteja pronto até 15 de junho para a partida entre França e Honduras.

(Edison Vara/Reuters)

Aeroportos

Foram prometidas 30 obras em 13 aeroportos brasileiros. De acordo com o Sinaenco, apenas 14 estão prontas – o que corresponde a 46,7% do total.

As obras atrasaram no Aeroporto de Confins (imagem acima), em Minas Gerais, e o próprio governo acredita que não serão concluídas até o início do Mundial.

O ministro da Aviação Civil, Moreira Franco, admitiu que o Galeão, no Rio, também poderá ter problemas durante a Copa. O terminal 1 só vai ser inaugurado em agosto. Há tapumes isolando determinadas áreas e elevadores parados.

Operários continuam trabalhando na ampliação do terminal de passageiros no Aeroporto Internacional Pinto Martins, em Fortaleza, e no terminal do Aeroporto Afonso Pena, em Curitiba.

(Wikimedia Commons)

Mobilidade

O levantamento do Sinaenco aponta que, das 35 obras de mobilidade urbana com vistas à Copa, apenas oito foram concluídas – o correspondente a 22,3% do total.

Os atrasos ocorrem em quase todas as cidades-sedes, mas a situação é mais crítica em Curitiba.

Ainda estão longe da conclusão as obras do corredor que liga o aeroporto da capital paranaense à rodoferroviária, nos trechos estadual e municipal, e a própria reforma e modernização da rodoferroviária (imagem acima).

Entre as obras que estão atrasadas estão: o corredor de ônibus que liga a zona norte de Fortaleza à Arena das Dunas; o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) Parangaba e Mucuripe, também na capital cearense; e o BRT Norte/Sul, que ligará Recife a outros municípios pernambucanos.