O que está em jogo na economia de Curitiba

Conheça as propostas dos candidatos Gustavo Fruet e Ratinho Junior nas áreas de economia e negócios para a capital paranaense

São Paulo – Curitiba é uma das dezessete capitais que vai passar pelo segundo turno eleitoral neste domingo. A capital do Paraná está entre as economias com maior dinamismo no Brasil: são mais de 1,7 milhões de habitantes e um PIB per capita próximo dos 25 mil reais.

As propostas dos candidatos para as áreas de negócios e economia, então, têm importância para todo o estado. EXAME.com conversou com os coordenadores dos planos de governo dos candidatos Gustavo Fruet (PDT) e Ratinho Júnior (PSC) para conhecer melhor os principais projetos dos prefeituráveis para aumentar o dinanismo de Curitiba.

Gustavo Fruet (PDT)

1. “Curitiba precisa se redesenhar para a nova fase da economia mundial”, diz o professor Fábio Scatolin, responsável pelo plano de governo de Fruet. Segundo o economista, o governo de Fruet vai promover setores como “economia criativa”, um conceito que agrega setores que vão desde webdesign (e aí entra a indústria do software) até “cadeia produtiva da cultura”, afirma Scatolin.

2. Outra aposta do governo de Fruet será na economia verde: “haverá incentivo para empresas de tecnologia que desenvolvam suas atividades econômicas de maneira sustentável”.

3. “Programa pesado de capacitação para os jovens”. Em relação ao primeiro emprego, Scatolin afirma que o candidato do PDT vai usar os recursos da prefeitura e “promover grande parceria com setor público e privado de escolas técnicas e universidades para qualificar a mão-de-obra”.

4. Fruet também pretende transformar Curitiba em “uma cidade digital”. Segundo Scatolin, “precisamos investir pesado também na mobilidade e na infraestrutura de banda larga e fibra óptica”.

Ratinho Júnior (PSC)

1. “Para estimular a economia, temos propostas de incentivo ao turismo (como redução de impostos) e a várias festas. Curitiba é uma das capitais mais frias do Brasil e nós não exploramos esse potencial festivo”, diz Hélio Amaral, coordenador do plano de governo de Ratinho.

2. “Queremos oferecer outras isenções, também, especialmente para a área de alta tecnologia”, conta. Segundo Amaral, o governo de Ratinho Júnior vai procurar atrair indústrias e empresas de biotecnologia e tecnologia de informação.

3. Outra proposta do plano de governo de Ratinho é a criação de um “conselho de desenvolvimento de Curitiba”. De acordo com Amaral, ele seria composto de entidades, pessoas e instituições que trariam ideias e discutiriam propostas para as próximas décadas da cidade.

4. Em relação ao primeiro emprego dos jovens, Amaral explica que Ratinho defende “parcerias para utilização das escolas em horário noturno para cursos de formação e qualificação de jovens”.