O que diz a imprensa internacional sobre as queimadas na Amazônia

Noticiários do mundo inteiro destacam o aumento dos incêndios florestais na Amazônia e as declarações de Bolsonaro sobre essa questão

São Paulo — As recentes queimadas na Amazônia, que, segundo especialistas, fizeram a tarde de São Paulo se tornar noite na última segunda-feira, tiveram repercussões em noticiários internacionais. A discussão também fez a hashtag #PrayforAmazonas ocupar o primeiro lugar nos trending topics mundiais do Twitter na quarta-feira, 21. 

Dados divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), mostram um aumento de mais de 40% nos alertas de desmatamento entre agosto e julho. Entre janeiro e agosto deste ano, as queimadas aumentaram 83% em relação ao mesmo período do ano passado, também segundo dados do instituto. O número é o maior em sete anos, com quase 73 mil pontos de incêndios registrados. As queimadas atingiram a tríplice fronteira entre Brasil, Bolívia e Paraguai, consumindo mais de 20 mil hectares de vegetação. 

Nesta quarta-feira (21), o presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou — sem mostrar evidências das alegações — que as ONGs de preservação estariam por trás das queimadas. Desde a campanha presidencial, Bolsonaro diz que pretende flexibilizar o código florestal brasileiro, que estabelece normas para a preservação de florestas. Já o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, disse que as notícias sobre os resultados das queimadas eram falsas e criticou o “sensacionalismo ambiental” sobre o tema.

As declarações de Bolsonaro e os dados sobre as queimadas ganharam as manchetes dos principais portais de notícia do mundo. Veja o que dizem alguns desses noticiários.

The Guardian – Inglaterra

O jornal britânico The Guardian noticiou que Bolsonaro culpou ONG’s pelo aumento dos incêndios florestais na Amazônia, mas não trouxe dados para embasar sua afirmação.

The Guardian The Guardian

The Guardian (The Guardian/Reprodução)

National Geographic – Estados Unidos

O site da revista americana National Geographic relacionou o aumento do número de queimadas às crescentes taxas de desmatamento na região amazônica. “As chamas são tão grandes que a fumaça pode ser vista do espaço”, apontando também para possíveis mudanças climáticas causadas pelos incêndios.

National Geographic

National Geographic

The New York Times – Estados Unidos

O jornal americano The New York Times aponta os fazendeiros como os grande devastadores de terras, que invadem áreas na região norte do país, que desmatam grandes espaços de floresta tropical. “O desmatamento na Amazônia aumentou rapidamente desde Bolsonaro, eleito em Outubro, assumiu seu cargo como presidente da República”, aponta o jornal.

CBS – Estados Unidos

A rede de televisão americana CBS noticiou as queimadas vistas em imagens de satélite obtidas pela NASA, agência espacial dos Estados Unidos. “Partes da floresta amazônica estão pegando fogo — e a fumaça pode ser vista do espaço”. 

CBS News CBS News

CBS News (CBS News/Reprodução)

Deutsche Welle – Alemanha

Na Alemanha, jornais noticiaram o que está acontecendo na Amazônia. A Deutsche Welle fez um levantamento sobre a repercussão do caso no país comandando por Angela Merkel, que recentemente decidiu suspender o repasse de recursos para o Fundo Amazônia por ser contra as políticas adotadas por Bolsonaro.