O poder eleitoral da JBS

O grupo JBS, principal frigorífico do país, foi o maior financiador privado de candidatos para o Legislativo na eleição de 2014, ajudando a eleger ao menos 165 deputados e 28 senadores, de acordo com uma planilha entregue pela empresa à Procuradoria-Geral da República e divulgada nesta segunda-feira pelo jornal O Estado de S.Paulo. 

Segundo o jornal, os nomes e valores citados no pacote de documentos entregue à PGR coincidem com os das prestações de contas entregues pelos partidos e candidatos à Justiça Eleitoral. Isso significa que, pelo menos nesta planilha específica, os valores marcados são de doações formalizadas de acordo com a legislação eleitoral, ou “caixa 1”.

O levantamento mostra o tamanho da penetração da JBS no Congresso Nacional: 1 a cada 3 congressistas eleitos no último pleito recebeu doações da empresa. Essas contribuições não eram entregues diretamente aos deputados financiados, e sim às direções dos partidos, que repassavam os valores aos candidatos.