O dia de expectativa pela prisão de Lula em fotos

Uma multidão de cerca de 10 mil apoiadores do ex-presidente rodeou as ruas próximas ao prédio do sindicato em São Bernardo

São Paulo – No dia marcado para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se entregar para ser preso, o país ficou atento à sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP), de onde o Lula não arredou o pé desde a noite de quinta-feira (5), quando o juiz Sérgio Moro ordenou sua detenção.

Uma multidão de cerca de 10 mil apoiadores do ex-presidente rodeou as ruas próximas ao prédio do sindicato na expectativa da resistência do petista a uma eventual investida da Polícia Federal.

Protestos em apoio ao presidente aconteceram em mais de 50 cidades pelo Brasil – principalmente, na região Nordeste.  No Rio de Janeiro, manifestantes se reuniram na Candelária no fim da tarde.

Ao longo do dia, cerca de 50 pontos de rodovias foram bloqueados em 16 estados de todo o país pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

Faltando poucos segundos para o esgotamento do prazo sugerido pelo juiz de Curitiba para que o ex-presidente se apresentasse na sede da Polícia Federal no Paraná, os manifestantes fizeram uma contagem regressiva em coro. E Lula não se entregou.

O dia foi marcado por negociações. Apesar de poder cumprir o mandato de prisão, a Polícia Federal preferiu optar por fechar um acordo com o ex-presidente na tentativa de evitar eventuais confrontos.

A defesa de Lula apresentou uma reclamação ao STF pedinto que a corte suspenda a ordem de prisão decretada por Moro.

Mesmo assim, há a expectativa de que Lula se entregue neste sábado depois de uma missa em homenagem a ex-primeira-dama Marisa Letícia, morta no ano passado, que faria 68 anos neste sábado.

Veja também