Novo texto deve convencer líderes, prevê relator da Previdência

Segundo Arthur Maia, na reunião com parlamentares da base os líderes mostraram compromisso em buscar apoio das bancadas para a aprovação da reforma

O relator da reforma da Previdência, deputado Arthur Maia (PPS-BA), afirmou nesta terça-feira, 11, que o texto que está sendo desenhado já aponta para o convencimento dos líderes.

Segundo ele, a reunião com parlamentares da base com o presidente Michel Temer foi exitosa e os líderes mostraram compromisso em buscar apoio das bancadas para a aprovação do texto.

“Todo os líderes que estiveram presentes nos autorizaram a dizer que, com as alterações, eles encaminharão nas bancadas em favor do nosso relatório”, disse.

Arthur Maia afirmou ainda que foram destacados os cinco pontos que o governo cedeu e que desde a semana passada, com o aprofundamento das conversas e visitas às bancadas, nesta terça foi possível apresentar um “esboço daquilo que será o nosso relatório que será apresentado na semana que vem”.

O relator afirmou que o texto que está sendo desenhado, apesar de não estar consolidado, reforçou que, com os cinco pontos de alterações sinalizados, apontam “para o convencimento dos líderes”. “Isso é motivo de comemoração e alegria”, disse.

Segundo ele, de todos os encontros já realizados, este com o presidente Temer foi o que mais avançou no sentido de construir a aprovação da PEC. O presidente da Comissão, deputado Carlos Marun, presente na entrevista coletiva, disse que os líderes estão trabalhando para avanços na reforma.

Trabalhador rural

O deputado Eduardo Barbosa afirmou que Michel Temer está convencido de que a idade mínima para a aposentadoria rural será de 60 anos, menor do que o previsto na regra geral, de 65 anos.

A flexibilização na regra de aposentadoria rural já havia sido anunciada pelo governo. “Essa é a mudança mais acordada”, disse.

O parlamentar disse ainda que o relator, deputado Arthur Maia, sinalizou que haverá idades mínimas mesmo no caso das aposentadorias especiais para policiais e professores. Mas, neste caso, não houve detalhamento de qual será essa idade durante a reunião.