Novo secretário de Portos diz que precisa vencer burocracia

Ele destacou a importância de investimentos da União, de parcerias estratégicas e da sinergia entre os modais de transportes para a expansão da infraestrutura

Brasília – O deputado federal Edinho Araújo (PMDB-SP) assumiu hoje (2) pela manhã o cargo de ministro-chefe da Secretaria de Portos da Presidência da República, antes ocupado por César Borges.

No discurso de posse, o novo ministro disse que o Brasil deve vencer a burocracia e baixar preços no setor portuário.

Como demandas urgentes, o novo ministro citou colocar em em prática a Lei Geral dos Portos e o Programa de Arrendamentos Portuários, ambos sob exame do Tribunal de Contas da União (TCU).

Edinho Araújo destacou a importância de investimentos diretos da União, de parcerias estratégicas e da sinergia entre os modais de transportes rodoviário, ferroviário, hidroviário, portuário e aeroportuário para a expansão e modernização da infraestrutura dos portos brasileiros.

O ministro reconheceu que há gargalos importantes no acesso aos principais portos brasileiros e disse que a pasta é estratégica para impulsionar a atividade produtiva e facilitar as exportações.

“Não é possível disputar espaço no mercado internacional se não tivermos a capacidade de escoar os produtos dentro de prazos e custos razoáveis”, disse no discurso, acrescentando que irá buscar diálogo com os trabalhadores do setor e com a Agência Nacional de Transportes Aquaviários, que regula o setor.

Edinho Araújo, que está no quarto mandato de deputado federal, foi vice-líder do PMDB e integrou na Câmara dos Deputados as comissões de Agricultura; Viação e Transportes; Desenvolvimento Urbano; Ciência e Tecnologia; Constituição e Justiça; Defesa do Consumidor e Educação e Cultura.