MTST consegue acordo em SP e deixa construtora

Movimento deixou ocupação sob acordo de prorrogação por mais 15 dias da liminar de despejo de terreno no Morumbi, onde está instalada a Ocupação Portal do Povo

São Paulo – O Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) encerrou no início da tarde desta quinta-feira, 17, a ocupação do térreo de um prédio da construtora Even na Marginal do Pinheiros, na zona oeste, sob acordo de prorrogação por mais 15 dias da liminar de despejo de terreno no Morumbi, na zona sul, onde está instalada a Ocupação Portal do Povo. 

A informação foi confirmada pelo major subcomandante do 23º Batalhão de Polícia Militar, Marcelo Franciscon. A empresa, porém, disse desconhecer o acordo.

De acordo com Franciscon, a Even quis manter o despejo, mas a Justiça decidiu dar o prazo “em razão do agravamento” da situação. O acordo, segundo ele, foi costurado pelo Comando de Policiamento da Zona Oeste.

Às 13h10, os militantes ainda ocupavam a Rua Hungria (pista local da Marginal do Pinheiros) no sentido da Rodovia Castelo Branco, após assembleia realizada para discutir o desfecho do acampamento feito desde a tarde desta quarta-feira, 16, no térreo da construtora. O MTST decidiu realizar assembleia às 19h desta quinta-feira no Morumbi.

A coordenadora estadual do MTST Natália Szermeta prometeu novos atos durante o prazo dado pela Justiça e disse que o movimento buscará soluções junto ao poder público para inviabilizar o despejo.

Para ela, o resultado do protesto de dois dias foi positivo para “passar segurança às famílias” que estão morando no Portal do Povo.

Natália julgou como “truculenta e insensível” a postura da Even de não discutir sobre o terreno.

O setor de comunicação da Even informou que a empresa foi surpreendida pela reportagem do Estado ao saber da decisão de prorrogação da liminar. “Não ficamos sabendo de nada até o momento, só por vocês (da imprensa)”, informou.