Curtas – uma seleção do mais importante no Brasil e no mundo

MP investiga pressão sobre auditores da Vale; Manafort condenado; Trudeau se defende e mais…

MP investiga pressão sobre auditores da Vale

A força-tarefa que apura o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho (MG) põe em primeiro plano a investigação sobre o departamento da empresa criado para impedir essas tragédias, segundo o jornal O Estado de S. Paulo. Surgido após o rompimento da estrutura de Mariana em 2015, maior desastre ambiental do País, o setor de geotecnia da Vale teria trocado empresas e pressionado auditores para obter laudos de segurança, segundo os investigadores. Essa suspeita motivou um pedido oficial dos Ministérios Públicos Federal e Estadual e das Polícias Civil e Federal para afastar todos os responsáveis por essa área, além dos principais executivos da Vale, até a próxima segunda-feira.

Manafort condenado

Paul Manafort, ex-chefe de campanha do agora presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi condenado nesta quinta-feira a três anos e 11 meses de prisão pelos oito crimes de fraude dos quais foi declarado culpado em agosto do ano passado. A condenação contra Manafort não tem relação com as atividades que desempenhou como chefe da campanha de Trump, embora seja produto da investigação sobre a trama russa que é conduzida pelo promotor especial Robert Mueller.

Ministro implicado em esquema de laranjas

Zuleide Oliveira, 41 anos, integrante do PSL de Minas Gerais afirmou em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, ter sido chamada pessoalmente pelo ministro do Turismo Marcelo Álvaro Antônio para ser “laranja” nas eleições de 2018. O ministro teria proposto que ela recebesse 60.000 reais do Fundo Eleitoral e devolvesse, por fora, 45.000 reais, ficando com o restante. Na última quarta-feira, 6, o ministro recorreu da decisão do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Luiz Fux que manteve a investigação sobre candidatas laranjas do PSL na primeira instância em Minas Gerais. A defesa justifica o pedido de foro privilegiado com o fato de que de Álvaro Antônio era deputado federal na época em que os fatos investigados ocorreram.

Esfaqueador de Bolsonaro sofre de doença mental

Um laudo divulgado pela Justiça Federal indica que Adélio Bispo de Oliveira, responsável pelo atentado contra o presidente Jair Bolsonaro em setembro de 2018, sofre de doença mental. Segundo o documento, Adélio tem transtorno delirante permanente paranoide, o que pode levar a Justiça Criminal a considerá-lo inimputável. Desde 6 de setembro do ano passado, ele está preso e foi denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) de Minas Gerais após golpear o então candidato à Presidência no abdômen durante evento na cidade de Juiz de Fora.

Ações da CCR caem

As ações da concessionária de rodovias CCR terminaram esta quinta-feira, 7, em baixa de 7% % após um acordo firmado entre a companhia e o Ministério Público do Paraná na tarde de ontem. Nesta quarta-feira, a força-tarefa que coordena a operação Lava Jato firmou acordo de leniência com a Rodonorte, concessionária de rodovias do grupo CCR, em que a empresa se compromete a pagar 750 milhões de reais até 2021. Segundo o inquérito, o acordo envolve “diversos atos de corrupção e lavagem de dinheiro relacionados a contratos de concessão firmado entre o Estado do Paraná, o Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná, o Departamento Nacional de Estradas de Rodagem e o Ministério dos Transportes e a concessionária”.

No Twitter, Bolsonaro defende reforma

Após escândalo com vídeo do carnaval, o presidente Jair Bolsonaro voltou ao Twitter nesta quinta-feira, 7, para defender a aprovação do projeto da reforma da Previdência, que foi enviado ao Congresso no dia 20 de fevereiro. Na publicação, o presidente ressaltou que os avanços que o país precisa dependem da reforma. “É a partir dela que o país terá condições de estabilizar as contas, potencializar investimentos, viabilizar uma rígida reforma tributária e enxugar ainda mais a máquina pública, reduzindo nossas estatais”, escreveu. Em tuíte conseguinte, Bolsonaro enalteceu seu time econômico e comparou a proposta elaborada por seu governo com os modelos previdenciários internacionais. Além disso, o presidente ressaltou que todos estarão sujeitos à Reforma, inclusive militares.

Rússia punirá difusão de fake news

Uma nova lei aprovada nesta quinta-feira, 7, pela câmara dos deputados da Rússia prevê multa de até 1,5 milhões de rublos (23 mil dólares) para quem ajudar na difusão premeditada de notícias fraudulentas, as chamadas Fake News. O projeto, que ainda precisa passar pelo Senado do país e pela sanção presidencial para começar a valer, diz respeito tanto a fake news em veículos de imprensa como na internet e redes sociais. Ainda segundo a lei, as sanções mais duras serão aplicadas quando o resultado da difusão de fake news causar morte, danos à saúde da vítima ou interrupção de serviços básicos.

Trudeau se defende

O primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, desmentiu que tenha interferido para influenciar um caso justicial e disse estar arrependido pela forma como se portou diante do escândalo político, que já o custou dois membros do gabinete e um conselheiro. O político foi acusado pela ex-ministra da Justiça Jody Wilson-Raybould de pressioná-la a abandonar uma investigação contra a companhia de engenharia SNC-Lavalin, que supostamente subornou o governo líbio de Muamar al Gadafi para garantir contratos na construção civil. Trudeau garantiu ao povo canadense que não quebrou as leis e que ninguém ligado a ele fez algo “inapropriado”. O escândalo pode diminuir as chances do político se reeleger em outubro.