Moreira Franco reúne publicitários e relator da Previdência

A reunião teve como objetivo, segundo fontes, alinhar o discurso do governo agora que o relatório de Arthur Maia já está praticamente pronto

Brasília – O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, que é o responsável pela comunicação do governo federal, teve uma reunião no fim da tarde desta terça-feira, 18, com o relator da reforma da Previdência, Arthur Oliveira Maia (PPS-BA).

A reunião contou com a participação de um grupo de publicitários e teve como objetivo, segundo fontes, alinhar o discurso do governo agora que o relatório de Maia já está praticamente pronto.

Uma das fontes que participaram do encontro afirmou que as mudanças feitas no texto e as medidas que serão oficializadas nesta quarta-feira, 19, com a leitura do relatório precisam ter uma comunicação “clara e eficiente”.

Segundo essa fonte, Oliveira Maia agora com a apresentação do relatório e deve ser naturalmente “o porta-voz” sobre o tema.

Outra medida que deve ser tomada pelo grupo de comunicação nos próximos dias é a criação de uma cartilha com as mudanças da reforma e com argumentos para ajudar os deputados a criar discurso para seu eleitorado. A ideia é a cartilha dar munição – alinhada com o discurso federal – para que os parlamentares possam justificar seus votos a favor da reforma.

Maia já havia participado de outras reuniões com o grupo de comunicação. O principal objetivo de alinhar o discurso é evitar que membros do governo passem mensagens equivocadas para a sociedade em relação à reforma.

A avaliação é que, além de ser um tema sensível, caso haja muitos interlocutores poderá haver ruídos ainda maiores na comunicação.

Hoje, após duas reuniões com o presidente Michel Temer, uma com deputados e outra com senadores, Oliveira Maia foi escalado sozinho para explicar aos jornalistas as mudanças que foram feitas no texto e que constarão no relatório a ser lido amanhã. Na avaliação dos publicitários, o relator “falou muito bem”.

Peças

Além desses encontros de alinhamento, o governo também está investindo em novas peças publicitárias para defender a reforma da Previdência.

Em uma das campanhas, que serão veiculadas a partir desta terça-feira nas redes sociais e também na televisão, a reforma da Previdência é apresentada como “uma novidade”.

Num primeiro vídeo, a resistência às mudanças na aposentadoria é comparada a outras medidas, como o uso obrigatório do cinto de segurança, vacinas e a privatização da telefonia.

“Tudo que é novo assusta, quando surgiu a vacinação teve até revolta. Hoje não dá para viver sem. Foi assim com o cinto de segurança obrigatório. E quantas vidas ele já salvou?”, diz o locutor de uma das peças.

“Na hora de privatizar a telefonia muitos foram contra. Hoje todo brasileiro tem celular”, completa.