Ministro da Educação não menciona novos recursos para a USP

Paim declarou ainda que tem conversado com o reitor da USP, Marco Antonio Zago. "O que ele tem nos passado é que essa crise é algo conjuntural", acrescentou.

São Paulo – O ministro da Educação, Henrique Paim, afirmou que o governo federal está “a disposição” do reitor da Universidade de São Paulo ao ser questionado por jornalistas sobre a crise na USP.

Ele não comentou, porem, a possibilidade de destinação de recursos extras do governo federal. “Já existe apoio a USP em conjunto com a Capes”, respondeu mencionando a fundação do MEC que lida com a produção científica.

Paim declarou ainda que tem conversado com o reitor da USP, Marco Antonio Zago. “O que ele tem nos passado é que essa crise é algo conjuntural”, acrescentou.

Mais cedo, durante o mesmo evento promovido pelo Grupo Lide, o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou que a crise pela qual passa a Universidade de São Paulo é passageira.

Ensino médio

O ministro da Educação ainda comentou sobre medidas necessárias para o Ensino Médio. Ele considerou que é preciso flexibilizar currículos como forma de reduzir a evasão de estudantes.

Paim considerou equivocado o sistema atual no qual basta a reprovação numa única disciplina para que o estudante tenha que repetir de ano.

Paim ainda afirmou que é preciso aumentar o acesso de estudantes de Ensino Médio a formação profissional.

“Saímos de um patamar de 3% de alunos que tinham acesso a ensino profissional para 10%, mas ainda estamos abaixo de outros países como a Alemanha, no qual a participação de alunos no ensino profissional é de 55%”, completou.