Miguel Jorge pede que espanhóis invistam na Copa de 2014

Ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior ressaltou que a Espanha é `o 2º ou 3º´ maior investidor no Brasil

Madri – O ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, pediu hoje que as empresas espanholas invistam nas obras da Copa do Mundo de 2014, no Brasil.

“Com a Copa do Mundo e as obras de infraestrutura, há muitas oportunidades e possibilidades para que empresas espanholas invistam mais no Brasil”, afirmou Jorge em Madri.

O ministro fez essas declarações antes de discursar num seminário ibero-americano de investimentos, realizado entre hoje e amanhã na capital espanhola com a participação de políticos e empresários da região.

Em declarações aos jornalistas, Jorge lembrou que há importantes investimentos da Espanha no Brasil há muito tempo e que a Espanha é “o segundo ou terceiro maior investidor no Brasil”.

Segundo ele, a Copa de 2014 oferece oportunidades para todos. “Nós precisamos de infraestrutura, por exemplo, de mobilidade urbana e nos estádios esportivos, alguns dos quais têm de passar por grandes reformas”.

“É preciso ampliar os aeroportos em muitas cidades. Nos portos, há necessidade de construção de terminais de passageiros”, acrescentou.

O ministro acredita que as empresas espanholas também podem ter oportunidades na construção das obras para os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro.

Em sua opinião, “a Espanha tem uma grande experiência com as Olimpíadas de Barcelona (1992) que poderia ser muito útil para o Brasil”.

Perguntado sobre o financiamento da Copa e das Olimpíadas, o ministro assinalou que “há dinheiro suficiente. Somente dos fundos do Governo (Federal), calcula-se que são US$ 100 bilhões para os dois (eventos)”.

Leia mais notícias sobre a Copa do Mundo

Siga as notícias do site EXAME sobre Economia no Twitter