Metrô do Rio não recebe reclamação sobre arrastão

Pelo menos dez pessoas foram assaltadas durante arrastão promovido ontem no metrô do Rio de Janeiro, busca de imagens está sendo feita

Rio – O Metrô Rio ainda não recebeu qualquer reclamação de passageiros nem foi procurado pela polícia por causa do arrastão promovido por um grupo de homens fantasiados de bate-bola (clóvis), na segunda-feira, por volta de 21h, entre as estações da Central e Cidade Nova, nas proximidades do sambódromo. Com o vagão lotado, pelo menos dez pessoas foram assaltadas, como relatou a reportagem da Agência Estado ainda na noite de segunda-feira.

Segundo a assessoria de imprensa do Metrô Rio, uma busca de imagens está sendo feita para identificar a ocorrência. Até por volta de 13h, no entanto, nada havia sido encontrado. Em casos do tipo, quando há imagens sobre a ocorrência, a concessionária operadora do metrô informa a polícia.

Procurada por meio de sua assessoria de imprensa, até 13h20, a Polícia Militar (PM) não havia confirmado se houve registro do arrastão.

Além de levar dinheiro e celulares, o grupo de cerca de 15 homens levou pânico aos passageiros. Quando o grupo entrou, na estação Central, muito usada por quem vai assistir aos desfiles ou desfilar no sambódromo, o vagão já estava lotado, mas ainda assim os homens forçaram a entrada. Aos gritos, ameaçaram os passageiros (inclusive com uma garrafa de vidro vazia) e mexeram nos bolsos das pessoas para levar dinheiro e celulares.

Após presenciar o arrastão, a reportagem da Agência Estado saltou na estação Cidade Nova. O grupo seguiu no trem.