Membros do Conselho de Política Penitenciária pedem demissão

Em carta de renúncia coletiva, integrantes criticam plano nacional de segurança pública e protestam contra decisões de Alexandre de Moraes

Brasília – Membros do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária do Ministério da Justiça encaminharam nesta quarta-feira (25) ao ministro da Justiça Alexandre de Moraes (PSDB) uma carta de renúncia coletiva.

No documento, os integrantes do conselho criticam o plano nacional de segurança pública e protestam contra decisões do chefe da pasta de justiça. De acordo com os integrantes do Conselho, a política criminal do Ministério da Justiça produzirá ainda mais tensões no sistema prisional.

“A índole assumida por esse Ministério, ao que parece, resume-se ao entendimento, para nós inaceitável, de que precisamos de mais armas e menos pesquisas”, avaliam os membros do conselho. “A atual política criminal capitaneada pelo Ministério da Justiça, a seguir como está, sem diálogo e pautada na força pública, tenderá, ainda mais, a produzir tensões no âmago de nosso sistema prisional, com o risco da radicalização dos últimos acontecimentos trágicos a que assistiu, estarrecida, a sociedade brasileira.”

Os signatários da carta ainda afirmam que o uso de “mais armas conduz à velha política criminal leiga, ineficaz e marcada por ares populistas e simplificadores da dimensão dos profundos problemas estruturais de nosso País”.

Sobre o lançamento do Plano Nacional de Segurança Pública, os membros do conselho lamentaram a falta de debate com a sociedade ou com as instâncias consultivas do Ministério. “Ao mesmo tempo, incentiva-se uma guerra às drogas no Brasil que vai, outra vez, na contramão das orientações contemporâneas das Nações Unidas e de diversas experiências bem-sucedidas em países estrangeiros”, concluem.

Ao todo, sete membros do conselho pediram demissão: Alamiro Velludo Salvador Netto, Gabriel de Carvalho Sampaio, Hugo Leonardo, Leonardo Costa Bandeira, Leonardo Isaac Yarochewsku, Marcellus de Albuquerque Uggiette e Renato Campos Pinto de Vitto.

Leia a carta na íntegra:

carta-renu_ncia_cnpcp

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. ViP Berbigao

    A turma do “pede pra sair” não é que pediu pra sair mesmo. Cabras frouxos q deixaram o crime dominar os presídios. Nada de moleza pra essa gente. É isso mesmo!

  2. A pergunta que faço é: O que fez esse Conselho para deixar a situação chegar onde chegou? Credibilidade Zero.

  3. Fabricio Efel

    Brigas, brigas e mais brigas pelo Fundo Penitenciário Nacional…que têm e sempre terá muito dinheiro!!!!

  4. Geovani José Armiliato

    Todos mortadelas de Dilma que contribuíram para a situação chegar nesse ponto, deveriam ter sido demitidos no primeiro dia.

  5. Paka Kaska Jr.

    … não se nesta farsa, quem é o mais farsante…!!! é tudo um faz de conta nos presídios… os guardas penitenciários fingem que cuidam e os presos fingem que são cuidados… e viva a republiqueta…!!

  6. Não sabia que o conselho que é formado por membros de cada estado indicados pelos governantes era a Dilma que indicada. Vira a fita..Dilma já saiu e quem ta fazendo as cagadas é o ministro da Justiça. Alias você leu a matéria completa???