Marina sobe o tom (literalmente) em último programa na TV

Campanha exibiu imagens de um ato de campanha de Marina, quando ela rebateu a acusação de Dilma de que teria mentido sobre sua posição na votação na CPMF

Brasília – A ex-senadora e candidata à presidência Marina Silva encerrou nesta quinta-feira sua propaganda na televisão visando as eleições de domingo aumentando o tom da crítica à presidente Dilma Rousseff, a qual acusou de “mentir” em relação à corrupção.

Na propaganda, foram exibidas imagens de um ato de campanha de Marina em São Paulo na última terça-feira, quando ela rebateu a acusação de Dilma de que teria mentido sobre sua posição na votação na CPMF.

“Mentira é quem diz que não sabe que tinha roubo na Petrobras. Mentira é quem diz que não sabe o que acontece na corrupção desse país”, afirmou.

“Quem não foi nem vereadora e virou presidente do Brasil não entende isso. Come pela boca do marqueteiro, do assessor. Não me venha chamar de mentirosa”, reiterou Marina, sem citar o nome de Dilma.

Segundo as últimas pesquisas de intenção de voto, a atual presidente ganhará as eleições de domingo, mas sem evitar a realização do segundo turno.

Como fez em sua campanha, Marina voltou hoje lembrar a sua origem pobre e sua conexão com a Amazônia, na qual nasceu, cresceu e trabalhou na infância, como coletora de borracha.

“Sonhei um dia com coisas simples. Sonhei com deixar de ser analfabeta e consegui aos 16 anos, quando fui à cidade. Quando voltava para ver minha família, via que falavam português com erros, mas eles conheciam os segredos da floresta”, declarou.

Ela disse que, nesse ambiente de pobreza, conheceu “o respeito à diversidade” e prometeu aplicá-lo à tarefa de governar se for eleita presidente.