Manifestações no Rio deixam 46 presos

O maior foco de confronto ocorreu nas imediações do Palácio Guanabara, sede do governo estadual do Rio

Rio de Janeiro – As manifestações ocorridas na quinta-feira, 11, no Rio de Janeiro terminaram com 46 presos, sendo 9 autuados em flagrante, segundo nota divulgada na manhã desta sexta-feira, 12, pela Polícia Militar.

No principal ato do dia, organizado pelas centrais sindicais no Centro do Rio e que contou com 10 mil manifestantes, a PM empregou 150 policiais para garantir a segurança durante o protesto.

Segundo a PM, atos de vandalismo teriam sido praticados por indivíduos mascarados e vestidos de preto, por volta das 19h30, quando os organizadores anunciavam o fim da manifestação pacífica.

Lixeiras foram incendiadas e morteiros, pedras e bombas foram arremessados. A PM utilizou bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo, e o Batalhão de Choque foi acionado.

O maior foco de confronto ocorreu nas imediações do Palácio Guanabara, sede do governo estadual do Rio. Por volta das 20 horas alguns manifestantes lançaram rojões na direção dos policiais e a PM reagiu de forma violenta.

Manifestantes buscaram refúgio na Casa de Saúde Pinheiro Machado, em frente ao Palácio, e foram retirados pela PM. Um manifestante foi socorrido no local após ser atingido na cabeça por uma bala de borracha. Segundo a PM, um policial militar foi ferido na cabeça por uma pedrada.


De acordo com a Polícia Civil, entre os detidos estava um menor de 17 anos que levava um escudo de madeira com a inscrição BB, um capacete de soldador, pacotes de gaze, rolos de esparadrapos e uma máscara de oxigênio feita de garrafa pet.

O menor foi encaminhado à 5ª DP (Mem de Sá) e contou que é enfermeiro do grupo Black Bloc, e que a participação dele nas manifestações seria para socorrer integrantes possivelmente feridos. Ele foi indiciado por fato análogo a formação de quadrilha. O menor foi liberado e entregue aos pais.

Entre os presos, três homens foram encaminhados à delegacia por arremessar pedras nos policiais militares, ônibus e lojas. Eles foram autuados por formação de quadrilha e corrupção de menores, por estarem acompanhados de dois adolescentes de 17 anos.

No protesto ocorrido em frente ao Palácio Guanabara, um menor foi apreendido com uma bomba de gás lacrimogêneo deflagrada no bolso. O fato foi registrado como apreensão de material. Uma mulher foi autuada por desobediência e liberada. Outras ocorrências ainda estão em andamento.