Mancha Verde volta atrás sobre encerramento

A entidade afirmou, em um post nas redes sociais, que vai suspender atividades por tempo indeterminado, mas não irá encerrar seus serviços

São Paulo — A Mancha Alviverde, torcida organizada do Palmeiras, emitiu um comunicado no início da tarde deste sábado, no qual anuncia que suspendeu as suas atividades por tempo indeterminado em virtude da delicada situação pelo qual passa nos últimos dias.

A entidade afirmou, em uma publicação nas redes sociais, que passa por um momento de “reestruturação” por conta da morte do seu fundador e ex-presidente, Moacir Bianchi, mas que não irá encerrar os seus serviços. A Mancha informou que não realizará nenhuma atividade “nos próximos dias” e que “em breve” retornará com novas informações.

A polícia apura se a morte do fundador da Mancha teria ligação com o crime organizado. O atentado contra o ex-presidente e fundador da torcida, executado com 16 tiros, teria sido motivado por uma cisão dentro da entidade, entre membros da filial da zona sul da cidade e os da sede principal, que teria gerado sérias desavenças – ‘Moa’, como era conhecido, atuava como mediador.

O enterro de Bianchi, nesta sexta-feira, foi tumultuado e contou com a presença da imprensa – tida como indesejada, por parte dos membros da organizada que estavam presentes no cemitério -, além de demonstrações de solidariedade vindas da Gaviões da Fiel, maior torcida do Corinthians, e Independente, do São Paulo.

Confira a íntegra da nota oficial da Mancha Alviverde:

Informamos através dessa nota que a torcida Mancha Alviverde não irá encerrar suas atividades. Estamos passando por um momento de reestruturação, e também em respeito ao luto pela morte do nosso fundador e ex-presidente Moacir Bianchi, a torcida permanecerá com suas atividades suspensas nos próximos dias. Pedimos para que todos os associados tenham compreensão e respeitem o momento que a entidade vem passando. Em breve retornaremos com novas informações sobre a entidade.