Malária na Venezuela ameaça o Brasil, alerta OMS

Em 2000, cerca de 200 mil novos casos de suspeita de malária foram registrados na Venezuela

Genebra – A Venezuela coloca em risco os avanços do Brasil no combate à malária. O alerta é da Organização Mundial da Saúde (OMS), que aponta para os problemas no sistema de saúde do governo de Caracas como um dos motivos para a explosão de casos do parasita nos últimos anos.

A reportagem apurou que, nas últimas semanas, o governo do presidente venezuelano Nicolas Maduro impediu a entrada de funcionários da Organização Pan-americana de Saúde em missão para entender a dimensão da crise na fronteira com o Brasil.

O Brasil e outros 54 países pelo mundo estão no caminho de reduzir a incidência da malária em 75% até 2015, em comparação aos dados de 2000. Mas a OMS alerta que os avanços no Brasil e em outros países da região estão ameaçados.

Em 2000, cerca de 200 mil novos casos de suspeita de malária foram registrados na Venezuela. Em 2012, esse número já era de 410 mil e, hoje, chega a mais de 475 mil.

Para Pedro Alonso, diretor da OMS para o combate à malária, problemas no serviço de saúde e o fluxo de pessoas por minas de ouro no sul da Venezuela têm colaborado para esse aumento.

Questionado pela reportagem se essa alta poderia representar risco aos avanços no Brasil, o executivo da OMS afirmou positivamente.

“Sim, é um risco para toda a região”, declarou. “Os dados são alarmantes”, disse. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.