Maia nega acordo para votar Previdência apenas em 2018

O presidente da Câmara disse que pretende se reunir nesta quinta com Temer para "entender" se o governo tem os votos para aprovar a proposta

Brasília – O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, negou que haja um acordo para deixar a votação da reforma da Previdência para fevereiro de 2018. “Não houve acordo”, afirmou. Apesar disso, ele reconheceu que “votar semana que vem é difícil”.

Segundo Maia, não se decidiu sobre o adiamento da votação e qualquer decisão sobre o assunto será tomada em conjunto com o presidente Michel Temer.

“O que sei é que o relatório está preparado para ser lido amanhã (quinta)”, afirmou.

O presidente da Câmara disse que pretende se reunir nesta quinta com Temer para “entender” se o governo tem os votos necessários para aprovar a proposta. “Estou esperando para ver se o governo tem votos para votar já na próxima semana”, disse.

Quando a proposta for levada a plenário, ela será “com certeza” aprovada, afirmou Maia.

Mais cedo, o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), afirmou que já está acertado o adiamento da votação da Previdência para fevereiro. Maia ressaltou que a decisão será tomada em conjunto.

O vice-líder do governo na Câmara, Beto Mansur (PRB-SP), disse que conversou com Temer mais cedo e que a base continua trabalhando para aprovar a Previdência. Ele reafirmou a intenção de votar a proposta ainda este ano.