Maia luta para tornar sua candidatura a mais viável do centro até junho

Segundo fonte, junho é encarado como prazo considerável para uma nova avaliação, já que em julho e agosto as legendas precisam oficializar suas candidaturas

Brasília – O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), trabalha para tornar a sua candidatura a mais viável no campo do centro e teria junho como marco temporal para definir sua situação, afirmou uma fonte do partido, sob a condição de anonimato.

Segundo essa fonte, a pré-candidatura de Maia é para valer –e não apenas para cacifar o nome do deputado em outras eventuais negociações–, mas o cenário indefinido e pulverizado exige uma postura mais realista.

Por isso mesmo, junho é encarado como um prazo considerável para uma nova avaliação, já que em julho e agosto as legendas precisam oficializar suas candidaturas nas convenções partidárias.

“O limite é junho. Ali teremos mais ou menos uma noção de quem é o mais viável”, disse a fonte.

Maia disputa o posto de se tornar a candidatura mais viável do chamado centro contra o presidente Michel Temer, o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles, ambos do MDB, a ex-senadora Marina Silva (Rede), e o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB), entre outros.

Inconveniente

A fonte avalia que uma candidatura de Henrique Meirelles pelo MDB resolveria dois problemas ao mesmo tempo. Serviria a deputados e senadores daquele partido, que não teriam parte muito grande dos recursos partidários abocanhada, já que o ex-ministro poderia financiar boa parte de sua campanha.

Ao mesmo tempo, eliminaria o inconveniente de outros partidos terem de se coligar com o MDB no campo nacional, já que, segundo a fonte, ninguém quer o MDB em seu palanque.

Meirelles deixou o Ministério da Fazenda, na última sexta-feira, para tentar se cacifar dentro do MDB como candidato à Presidência nas eleições deste ano. Mas se Temer decidir mesmo disputar nas urnas um segundo mandato no Planalto, o presidente deve ter a preferência do partido.

(Reportagem adicional de Anthony Boadle)