Maia diz não acreditar em prisão imediata

Para o presidente da Câmara, Joaquim Barbosa negará pedido de prisão imediata a parlamentares condenados feito pelo Procurador-Geral da República, Roberto Gurgel

Brasília – O presidente da Câmara dos Deputado, Marco Maia (PT-RS), não descartou hoje a possibilidade de abrir as portas da Casa para dar asilo aos parlamentares condenados no processo de mensalão pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Como a Polícia Federal não tem autorização para entrar no Parlamento, os parlamentares estariam “a salvo” da prisão.

Apesar de não negar esta hipótese, Maia disse que não acredita que o presidente do Supremo, ministro Joaquim Barbosa, acate o pedido do Procurador-Geral da República, Roberto Gurgel, de prender imediatamente os parlamentares já condenados na ação penal 470. “É uma suposição tão vaga que nem acredito que isso possa acontecer. (E se acontecer), aí teremos que pensar no que fazer”, concluiu Maia.