Mãe de menina Vitória recebeu ameaças antes e depois de desaparecimento

Rosana Guimarães voltou a ser ouvida pela Polícia Civil nesta quarta-feira, 20, e entregou o celular que será submetido à perícia

Sorocaba – A mãe da menina Vitória Gabrielly Guimarães Vaz, de 12 anos, encontrada morta oito dias após sair de casa para andar de patins, relatou ter recebido ameaças pelo celular antes e depois da morte da filha, em Araçariguama, interior de São Paulo. A mãe, Rosana Guimarães, voltou a ser ouvida pela Polícia Civil nesta quarta-feira, 20, e entregou o celular que será submetido à perícia.

Logo após o depoimento dela, foram chamados a depor o pai da menina, Luiz Alberto Vaz, e sua atual mulher, madrasta da garota. Os dois também tiveram de entregar os celulares.

A Polícia Civil não divulgou o conteúdo dos depoimentos, alegando o sigilo decretado pela justiça nas investigações. Conforme familiares, Rosana relatou ter recebido, em mensagens pelo aplicativo Whatsapp, ameaças veladas e também referências explícitas à forma como Vitória foi morta. Oficialmente, a polícia informa que os novos depoimentos são necessários em razão de ter se confirmado o assassinato da garota.

Conforme a polícia, o esclarecimento do caso depende do resultado de perícias que já foram realizadas, como o laudo do Instituto Médico Legal (IML) sobre a causa e o horário da morte. Também foram periciados celulares de familiares e testemunhas, as roupas e os patins da garota assassinada e amostras de terra colhidos no local em que o corpo foi encontrado.

Dois investigados cederam amostras para exame de DNA. A polícia analisa ainda imagens de câmeras instaladas em possíveis trajetos percorridos pelo carro usado para levar a garota ao local onde o corpo foi encontrado.