Curtas – o que houve de mais importante ontem

ÀS SETE - Líderes da oposição venezuelana voltaram a ser presos e estão em paradeiro desconhecido no país

Leopoldo preso

Os líderes da oposição venezuelana Leopolodo López e Antonio Ledezma voltaram a ser presos na noite de ontem e estão em paradeiro desconhecido no país. Integrantes do governo acusam Lopez de não cumprir a promessa de pedir paz aos manifestantes. Ontem, os Estados Unidos chamaram a eleição na Venezuela de ilegal, e congelaram os bens de Maduro, que está proibido de entrar no país. Foi a quarta rodada de sanções de Trump contra a Venezuela.

O presidente americano, Donald Trump, disse a interlocutores que estuda impor novas sanções ao setor petrolífero da Venezuela após a Assembleia Constituinte realizada no país neste domingo. “São decisões que expressam ódio e o caráter do magnata imperador dos Estados Unidos”, afirmou o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro.

Às Sete – um guia rápido para começar seu dia

Leia também estas outras notícias da seção Às Sete e comece o dia bem informado:

Itaú: lucro sobe 10,7%

O Itaú Unibanco anunciou na noite de ontem um crescimento de 10,7% no lucro no segundo trimestre, para 6,169 bilhões de reais, com aumento de receita com serviços e tarifas e menos gastos com provisões contra calotes. Este foi o primeiro trimestre do Itaú sob a gestão de Candido Bracher, que em maio sucedeu Roberto Setubal, presidente do banco pelos últimos 23 anos.

Lula pelo Nordeste

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva confirmou que começa no dia 17 uma caravana pelo Nordeste, região em que tem o maior apoio popular. Condenado pelo juiz Sergio Moro, Lula percorrerá, de ônibus, 28 municípios dos 28 estados nordestinos. A viagem, de 3.000 quilômetros, deve começar na Bahia e terminar no Maranhão, dia 7 de setembro, seis dias antes do novo depoimento de Lula a Moro. Nos anos 90, Lula participou das Caravanas da Cidadania, pelo Nordeste, para se cacifar eleitoralmente. O PT informou que cobrirá os custos da viagem.

Mudança na meta fiscal?

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, admitiu nesta segunda-feira que uma mudança na meta fiscal deste ano, um déficit de 139 bilhões de reais, está sendo analisada. “Em relação à questão da meta fiscal, estamos analisando o assunto. No momento, a meta anunciada será seguida. Mas, de novo, estamos monitorando todos os fatores da economia, a evolução da arrecadação”, disse. Meirelles disse ainda que o governo “não tem planos” no momento para o novos aumentos de impostos. “Aumento de imposto não é preferencial, só se for absolutamente necessário”, afirmou.

Janot volta a pedir prisão de Aécio

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, voltou a pedir, na tarde desta segunda-feira, a prisão e o afastamento do senador Aécio Neves (PSDB-MG). Presidente licenciado do partido, Aécio é acusado de pedir e receber dois milhões de reais em propinas vindas do empresário Joesley Batista, do Grupo J&F. O senador já foi afastado do cargo em maio depois de um pedido de Janot, mas o ministro Edson Fachin não acatou o pedido de prisão. Após uma mudança de relator, o caso foi para as mãos do ministro Marco Aurélio Melo, que aceitou um recurso da defesa de Aécio para que ele pudesse retornar às atividades políticas.

MPF recorre de pena de Lula

O Ministério Público Federal recorreu, nesta segunda-feira, da sentença do juiz federal Sergio Moro que condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a 9 anos e 6 meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro na Operação Lava-Jato. Os procuradores acharam muito branda a pena definida por Moro. O processo envolve o tríplex no Guarujá, construído e reformado pela OAS por 2,2 milhões de reais, e o custeio, também pela empreiteira, do armazenamento do acervo presidencial de Lula em uma empresa de transporte de valores em São Paulo. Os procuradores também pediram mudança no valor da multa aplicada por Moro, de 16 milhões de reais. De acordo com o MPF, o correto seria de 87 milhões de reais. O recurso será analisado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), a quem cabe, em segunda instância, revisar as decisões de Sergio Moro na Lava-Jato.

Bolsonaro no PEN

O deputado federal Jair Bolsonaro (RJ) escolheu o partido pelo qual lançará a sua pré-candidatura à Presidência da República. O vice-líder das pesquisas de intenção de voto trocará o PSC pelo PEN (Partido Ecológico Nacional). A mudança será feita assim que o político receber o aval do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para formalizar a filiação. Bolsonaro confirmou o acerto. “Dei a minha palavra, só falta a autorização do TSE”, disse a VEJA. A próxima “janela partidária” está prevista para março, mas o projeto de reforma política que tramita no Congresso poderá antecipar o prazo. O PEN confirmou a EXAME a possibilidade de filiação do político.

Chefe de comunicação: demitido

O diretor de comunicação da Casa Branca, Anthony Scaramucci, foi demitido nesta segunda-feira. O anúncio veio apenas dez dias depois de Scaramucci assumir o cargo, que culminou com a saída de Sean Spicer, que era o polêmico porta-voz do governo e discordou da nomeação. A entrada de Scaramucci também culminou com a saída do ex-chefe de gabinete Reince Priebus, acusado pelo diretor de comunicação de vazar informações do governo. Após a saída de Priebus, foi nomeado um novo chefe de gabinete, o ex-secretário de segurança nacional John Kelly. A demissão de Scaramucci foi justificada como sendo necessária para que Kelly montasse sua equipe da maneira como quisesse.