Lula e outros líderes viram bonecos de pano na Argentina

A coleção, que inclui também políticos, atores, músicos, atletas, cineastas e escritores, é uma criação da artista argentina Lali Baliner

Buenos Aires .- O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e os governantes de Venezuela e Bolívia – Hugo Chávez e Evo Morales – foram alguns dos políticos homenageados em uma coleção de bonecos de pano lançada na segunda-feira com a apresentação de ”Cristinita”, inspirada na presidente da Argentina, Cristina Kirchner.

A coleção, que inclui também políticos, atores, músicos, atletas, cineastas e escritores, é uma criação da artista argentina Lali Baliner, que através de sua empresa Papeles y Sellos fabrica e comercializa os bonecos.

Apesar de os bonecos serem vendidos na internet há um ano e meio, ficaram famosos ontem, quando Cristina Kirchner apresentou uma das versões de sua boneca, ”Cristinita”, em um evento na sede do governo argentino no qual não largou o objeto.

O ato foi convocado para a entrega de documentos de identidade a crianças filhas de casais do mesmo sexo, uma causa que a organização LesMadres, que atende mães lésbicas e da qual Baliner faz parte, defendia há tempos.

Lali afirmou nesta terça-feira à Agência Efe que, como forma de conseguir o apoio da governante, a organização enviou a Cristina uma boneca de presente. E conseguiu não apenas a adesão da presidente, mas também uma encomenda para que confeccionasse bonecos de vários líderes latino-americanos.

”Eu os fiz com muito carinho e respeito, com o apoio do governo ao projeto e como uma militância criativa”, disse a artista.

Os bonecos, que possuem aproximadamente 30 centímetros de altura e feitos em tecido, são vendidos pela internet por 65 pesos (US$ 14).


”Falta a vassoura!”, comentou o secretário Legal e Técnico da Presidência argentina, Carlos Zanini, ao ver nesta segunda-feira a boneca de Cristina, revelou a própria governante em tom de brincadeira, além de dizer que o funcionário a ”trata como uma bruxa”.

A versão da ”Cristinita” apresentada pela própria governante respeita o estilo da chefe de Estado, mas existem outras versões que a mostram em sua juventude, vestindo, por exemplo, minissaias dos anos 70.

Mas o modelo que mais comoveu a governante foi o de seu falecido marido, o ex-presidente Néstor Kirchner, em versão angelical. ”O boneco dele com auréolas parece um sonho”, disse a presidente.

A galeria de ”políticos de pano” é variada e inclui líderes da independência argentina, como José de San Martín e Manuel Belgrano, líderes históricos como Juan Domingo Perón, Evita, Ernesto Che Guevara, ex-presidentes argentinos como Raúl Alfonsín, Carlos Menem e Fernando de la Rúa, e dirigentes sociais, como a líder das Mães da Praça de Maio, Hebe de Bonafini.

Entre os líderes latino-americanos estão, além de Chávez, Lula e Morales, a presidente Dilma Rousseff, o uruguaio José Mujica e o cubano Fidel Castro.

Mas a coleção também conta com bonecos de artistas como Marilyn Monroe, Frida Kahlo, Diego Rivera, Siqueiros, Picasso, Dali, Van Gogh, Woody Allen, Pedro Almodovar, Mercedes Sosa, Rita Lee, Carlos Gardel, os Beatles e Mick Jagger.

Diego Maradona comanda a série dos ”bonecos dos atletas”, categoria que também conta com reproduções do uruguaio Enzo Francescoli e do paraguaio José Luis Chilavert.