Lula defende punição aplicada ao Corinthians após morte

Garoto morreu após ter sido atingido por um sinalizador durante jogo do Corinthians contra o San José

São Paulo – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu na noite desta terça-feira que haja uma punição severa contra os responsáveis pela morte do garoto boliviano Kevin Douglas Beltrán Espada, de 14 anos, na estreia do Corinthians na Copa Libertadores, no jogo contra o San José, na última quarta-feira, em Oruro, na Bolívia.

O garoto foi atingido durante o jogo por um sinalizador que teria sido disparado por um torcedor corintiano.

Lula defendeu também que o Corinthians também cumpra a punição imposta pela Conmebol. A sanção imposta pela entidade é que o time terá que jogar todas as suas partidas em casa nesta edição da competição sem a presença da torcida.

“Acho que o Corinthians tem de cumprir a pena a que foi submetido, mas isso deveria valer para todos os times de futebol daqui para a frente”, disse o ex-presidente, após participar do lançamento do livro “O Brasil”, do jornalista Mino Carta.

Lula também lamentou a morte do garoto de 14 anos. “Nós temos de ter consciência de que uma criança foi vítima da insanidade de um torcedor, que possivelmente não tenha feito por querer. Sabe aquele momento de estupidez que todo ser humano um dia tem?”, comentou o ex-presidente.

Para Lula, que é torcedor do Corinthians, é possível tirar lições dessa tragédia. “Quem sabe a gente pode tirar dessa tragédia ensinamentos para que os estádios de futebol sejam uma casa de espetáculo e não uma casa de violência”, concluiu.