Lula conversou com Dilma sobre G20, crise do euro e Minha Casa, Minha Vida

Dilma destacou ainda que Lula está de bom humor e que está preservando a voz

São Paulo – Pouco tempo depois de submeter-se à primeira sessão de quimioterapia contra um tumor cancerígeno na laringe, o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, conversou sobre a reunião de cúpula do G20 (grupo das 20 economias mais desenvolvidas), a crise na zona do euro e sobre o programa governamental Minha Casa, Minha Vida, ao receber hoje (31) a visita da presidenta Dilma Rousseff.

“Com o Lula, a gente não conversa só sobre isso [a doença]. Eu dei poucas dicas [sobre como enfrentar a quimioterapia] porque o presidente Lula estava mais interessado em discutir o G20. Estava bem mais interessado em discutir como é que está o desempenho dos países da zona do euro”, disse a presidenta depois de encontrar-se com Lula no Hospital Sírio-Libanês.

Perguntada se o presidente tinha se queixado do tratamento, Dilma contou que Lula mostrou-se preocupado com a vida nacional, mais que com o próprio tratamento. “Se [ele] reclamou dos efeitos da quimioterapia? Ele reclamou do Minha Casa, Minha Vida. Ele viu isso na TV. Tem 1 milhão de contratos e o pessoal trata como sendo uma catástrofe ter três contratos que estão sendo mal utilizados por algumas pessoas”, respondeu.

Dilma destacou ainda que Lula está de bom humor e que está preservando a voz. “Ele está maravilhoso de humor, está excepcional de humor, com aquela alegria dele. Ele poupou a voz, está falando baixo, mas, de repente, ele sai um pouco do tom e fala mais alto”, disse.

A presidenta chegou ao hospital por volta das 18h30, acompanhada do ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho. Também esteve com Lula o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Eles deixaram o hospital por volta das 20h.

O ex-presidente foi diagnosticado, no último sábado (29), com um tumor de aproximadamente 3 centímetros na laringe. Segundo os médicos, a doença está em uma fase de desenvolvimento que os médicos chamam de T2 e ainda não atingiu as cordas vocais do paciente. O resultado de uma biópsia feita no sábado indicou também que a agressividade do tumor é considerada média e seu estágio de desenvolvimento é relativamente inicial. Lula deve passar por três sessões de quimioterapia até o final deste ano e por uma de radioterapia no início de 2012.

Ainda hoje, Dilma parte para Cannes, na França, onde participará da reunião do G20, de 3 a 4 de novembro.