Luciano Huck diz que não emprestou jato que buscou Lula em saída da prisão

Aeronave do apresentador de TV faz parte de frota de companhia de táxi aéreo Icon Táxi Aérea e é fretada por ela a terceiros

São Paulo — Em vídeo publicado em suas redes sociais na noite de sábado (9), o apresentador Luciano Huck explicou que, embora seja dono do jato que levou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de Curitiba a São Paulo, não foi ele quem emprestou a aeronave. De acordo com Huck, a aeronave faz parte da frota de uma parceira, a Icon Táxi Aérea, e é utilizada por ela em alugueis para terceiros.

Foi em jato da Icon, propriedade de Huck e de sua esposa Angélica, que Lula chegou a São Paulo, no sábado, depois de deixar a prisão em Curitiba. Lula foi solto na sexta-feira (8) após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que voltou a restringir as prisões em segunda instância.

“Eu não dei carona no avião para o Lula, eu não emprestei avião nenhum pro Lula”, disse Huck, em sua publicação. “Eu tenho um sócio, a Icon Táxi Aéreo. E, quando eu não estou voando, o avião fica à disposição deles para fretamento. Em bom português, é para alugar o avião para ajudar a pagar as contas todas.”

A assessoria de imprensa de Huck, que confirma que a aeronave dele faz parte da frota do Icon, já havia informado mais cedo, no sábado, que a agenda de locação das aeronaves é de responsabilidade da empresa de fretamento.

“O voo de hoje [sábado] foi um voo fretado como qualquer outro”, continuou Huck em seu vídeo. “Qualquer especulação política em cima disso é maluquice nesse momento polarizado que vive o pais. O fato não passou de uma simples questão comecial.”

Após desembarcar em São Paulo, Lula seguiu para a sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, onde discursou para militantes e fez críticas ao governo Jair Bolsonaro.

O apresentador de TV Luciano Huck é apontado como possível candidato a presidente em 2022. Em seu lugar na TV Globo, telespectadores especulam que o apresentador Celso Portiolli será contratado. A informação não foi confirmada e a história surgiu com vídeo divulgado em outubro de Portiolli na Rede Globo.