Kombi não poderá ser fabricada a partir de 2014, diz Contran

Ministro Guido Mantega havia sugerido manter perua em linha

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) decidiu nesta quarta-feira, 18 de dezembro, que a Kombi não poderá ser fabricada no país a partir de 2014. A informação foi revelada pelo ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, havia cogitado a possibilidade de abrir uma exceção na regra que determinava que todos os veículos fabricados no Brasil a partir de 1º de janeiro de 2014 saiam de fábrica com airbag duplo e freios ABS.

“Não houve resistência das montadoras em criar um perdão para a Kombi porque o produto não tem concorrência. Não é caminhonete, não é automóvel. Não é veículo. É um produto diferente, sem similar”, afirmou o ministro na última terça-feira, 17 de dezembro.

Ribeiro, inclusive, contrariou o discurso de Mantega. “Seria um retrocesso à revogação da resolução. Há uma preocupação em elevar o padrão de segurança dos carros brasileiros. Estamos focados na vida e na segurança das pessoas. A solução para a vida das pessoas não pode prescindir destes equipamentos que comprovadamente reduzem a quantidade de vitimas nos acidentes de trânsito.”.

Com a decisão do Contran, a produção da perua será definitivamente encerrada neste ano, já que o projeto da Kombi não pode receber os equipamentos de segurança.