Justiça condena controlador de voo por acidente da Gol

O sargento Jomarcelo Fernandes dos Santos foi condenado pela Justiça Militar a um ano e dois meses por homicídio culposo

São Paulo – O sargento Jomarcelo Fernandes dos Santos, controlador de voo que estava em serviço no dia do acidente da Gol em 2006, foi condenado hoje pela Justiça Militar a um ano e dois meses de prisão por homicídio culposo. O sargento ainda pode recorrer ao Superior Tribunal Militar (STM).

O acidente com o voo 1907 aconteceu na região amazônica, em 29 de setembro de 2006, e matou 154 pessoas. No ano passado, a Federal Aviation Administration (FAA), órgão americano que regulamenta a aviação civil, negou o pedido de cassação das licenças dos pilotos americanos Jan Paul Paladino e Joseph Lepore. Eles conduziam o jato Legacy que se chocou com o Boeing 737 da Gol.

Dois processos criminais contra os pilotos do jato e os controladores de voo correm na Justiça Federal e estão na fase final de produção de provas. A próxima etapa é o interrogatório com os réus e, depois, as sentenças.

Até o fim de setembro, a Gol já havia indenizado 145 das 154 famílias das vítimas. Os acordos – cujos valores não foram divulgados pela companhia – preveem que as famílias se comprometam a não entrar com nenhum tipo de processo contra possíveis culpados pela tragédia.