Jungmann defende investigação de vazamentos na Polícia Federal

Jungmann disse que vai investigar o vazamento de informações da PF, após pronunciamento do presidente criticando vazamentos de um inquérito para a imprensa

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, defendeu hoje (27) a investigação de quaisquer desvios de norma cometidos por policiais federais. A afirmação foi feita em entrevista coletiva, em resposta a uma pergunta sobre o pronunciamento em que o presidente Michel Temer criticou vazamentos de um inquérito da Polícia Federal (PF) para a imprensa.

Durante pronunciamento hoje, Temer disse que pedirá ao ministro Jungmann que apure internamente como se dão os vazamentos sobre os detalhes do inquérito, como o que ocorreu à imprensa.

“A polícia judiciária, seja federal seja estadual, tem suas atribuições definidas em lei. E essas atribuições têm que ser seguidas e observadas. Obviamente, qualquer desvio de fato da lei, dos compromissos, das normas, dos protocolos, em existindo, tem que ser investigado, evidentemente tem que ser apurado”, disse Jungmann.

O ministro disse, no entanto, que não acompanhou o pronunciamento de hoje do presidente, porque passou a manhã em uma reunião na Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan). “Eu retorno a Brasília, vou me informar com o presidente da República, para saber qual é a demanda dele e o que é possível fazer”, afirmou Jungmann.

Segundo reportagem publicada nesta sexta-feira pela Folha de S.Paulo, em apuração preliminar, para Polícia Federal, existem indícios de que o presidente tenha usado dinheiro de propina para reformar imóveis da família e ocultado bens em nome de terceiros.

Veja também