Juízes federais recorrem a Sarney para abrir negociação

Os juízes reivindicam reajuste de 28,8%, enquanto o governo federal definiu reajuste linear de 15% para todo o serviço público

Brasília – Magistrados da Justiça Federal e da Justiça do Trabalho recorreram hoje (7) ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), para tentar abrir um canal de negociação salarial com o Executivo e o Judiciário. Os juízes reivindicam reajuste de 28,8%, enquanto o governo federal definiu reajuste linear de 15% para todo o serviço público.

Diante disso, o presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), Nino Toldo, informou que os 1,8 mil juízes federais paralisam suas atividades hoje e amanhã com o objetivo de “chamar a atenção” para a desvalorização de suas carreiras.

“Como o senador Sarney é o presidente do Congresso, com sua história de vida e influência talvez possa abrir o diálogo com o Executivo e o Judiciário para que encontremos a solução para este impasse”, disse Toldo.

O presidente da Ajufe acrescentou que tramita na Câmara três projetos de lei que tratam do reajuste salarial dos magistrados. Segundo ele, os percentuais previstos nos projetos somados alcançam os 28,6% reivindicados.

Nino Toldo reconhece a dificuldade do governo em conceder o reajuste reivindicado de uma só vez. Por isso, ele disse que a categoria “está aberta” a eventuais negociações para que o aumento seja concedido em parcelas.